Volta à relação de Autores

Tarso de Melo

 
Tarso de Melo

Tarso de Melo nasceu em Santo André (SP) em 1976, e reside em São Bernardo do Campo. Lançou anteriormente os livros de poesia A lapso (Alpharrabio, 1999), Carbono (Alpharrabio/Nankin, 2002) e Planos de fuga (Cosac Naify, 2005), além de diversos trabalhos publicados em revistas e antologias no Brasil e no exterior. Editou as revistas Monturo e Cacto, esta com Eduardo Sterzi. Atualmente, integra o comitê editorial do jornal de crítica K . Coordenou por três anos o “Observatório do poema”, grupo de leitura de poesia contemporânea que se reunia na Livraria Alpharrabio, em Santo André. Recentemente, coordenou e lecionou no ciclo “Tantas Letras!”, com cursos de poesia, prosa e crítica literária, promovido pela Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo. É advogado, formado pela Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo, e mestre em Filosofia do Direito pela Universidade de São Paulo.


A LAPSO

Alpharrabio Edições
14 x 21 cm,  64 pp. (poesia)

"(...) um livro de um poeta de 23 anos que já se apresenta com alguma boa força, de linguagem e de poesia (...) Tarso nos traz em seu A Lapso pequenos 26 poemas, de tamanho muito maior quando pensamos sobre a qualidade do que escreve. (...) Há nele uma força poética que tem sido cada vez mais rara." (Manoel Ricardo de Lima - O Povo, CE, 20.09.99)

 


POESIA PÃO E CIRCO &
PAULO LEMINSKI: OFÍCIO DE FASCÍNIO

Alpharrabio Edições
11,5 x 21 cm, 32 pp. (poesia)

Inspirado em afirmações do poeta Paulo Leminski, Tarso apresenta no ensaio de abertura do livro, uma tentativa de entendimento da função da poesia, defendendo a idéia da poesia como inutensílio, lançada pelo próprio Leminski. O livro inclui ainda uma não-biografia de Paulo Leminski, que registra uma criação literária a partir de dados biográficos do não-biografado.


 

 

Mimos Mínimos

Alpharrabio Edições
15 x 15 cm, 40 pp. (poesia)

O livro é uma oferenda poética aos escritores da predileção do autor (Leminski, Rosa, Joyce, Cabral de Melo Neto, Cortázar e outros), acrescida de outros poemas, agrupados na segunda parte do livro, denominada "i.é, cf. ex.".

 


Talentos Emergentes

Moacyr Costa Silva, Wilma Lima,
Fernando Cereja, Rosana Destro,
Margarete Schiavinatto, Tarso de Melo, Fabiano A. Calixto, Artur Cruz e Heitor C. Gonçalves
Alpharrabio Edições
10,5 x 14,5 cm, 20 pp.
(plaquete - poesia)

Coletânea reunindo trabalhos dos 9 poetas participantes do projeto Talentos Emergentes, realizado na Livraria Alpharrabo (Sto. André - SP) de 30/9/95 a 31/8/96.

 

 

 

 

 

LUGAR ALGUM: 

com uma teoria da poesia

Tarso de Melo (Alpharrabio Edições, 120 p., 2007) ( R$ 15,00)

 

Quando o poeta Tarso de Melo apresentou o projeto do livro de poemas Lugar algum à Bolsa Vitae de Artes, em 2004, comprometia-se, em suas palavras, ao seguinte:

 

“O livro deve ser longo, atingindo cerca de 80 poemas, pois está idealizado para que todos os poemas dialoguem entre si e perfaçam um único quadro, ou mapa, detalhado o bastante para constituir uma espécie de expedição fotográfica em cujo resultado o leitor possa encontrar traços das cidades e de seus habitantes na urbanização avançada e degradada. ma espécie de expedição fotográfica em cujo resultado o leitor possa encontrar traços das cidades e de seus habitantes na urbanização avançada e degradada.

O procedimento comum é o de eleger pontos das cidades – uma rua, uma praça, um parque – e escrever sobre e a partir deles, buscando trazer para o espaço do poema os diversos conflitos da realidade: entre local e universal, entre público e privado, entre o que há de mais enraizado e o que há de mais fugaz na sua constante transformação”.

 

É exatamente este livro que a Alpharrabio Edições apresenta agora aos leitores: um livro em que as cidades da Grande São Paulo são apresentadas por meio de uma visão que o crítico Manuel da Costa Pinto chamou de “topografia negativa”, ao interpretar outras obras do autor. São justamente os 80 poemas escritos durante o ano de 2005, enquanto o autor recebeu a citada Bolsa, e que permaneciam inéditos em livro. Além de Lugar algum, o volume traz ainda uma “teoria da poesia”:

 

é pouco o que as poças dizem

sobre a chuva, é mínima a memória

que os mapas guardam do mundo

 

o suor na camisa, na calça, nas meias,

tudo trai a violenta passagem do sol

 


CARBONO

Alpharrabio Edições / Nankin
16 x 12 cm, 88 pp. (poesia)

"Um dia igual aos outros", diz o primeiro verso de Carbono, já apontando para uma das nuances do título: os dias iguais, em cópia, em série, papel carbono. A idéia de gás carbônico também comparece, e não só na "paisagem desidratada" do longo poema "Deserto", que se abre, entre sol e poeira, com o poeta escrevendo cartões "ao acaso, a ninguém", e se fecha pelo gesto simbólico do abandono do caderno (mas não da escrita, pois para Tarso interessa, e muito, a representação posterior abandonado o caderno das representações ainda resta a "caderneta das apropriações", título de uma seção do livro)." Carlito Azevedo


UM MUNDO SÓ
 PARA CADA PAR

Fabiano Calixto
Kleber Mantovani
Tarso de Melo

Alpharrabio Edições
11,5 x 21 cm, 40 pp. (poesia)

Coletânea que reúne, segundo os próprios autores, poemas que se voltam para a temática amorosa sob a ótica da modernidade, da "fuligem" e da crise.


Coleção Micro
Alpharrabio Edições
05
. O-Bola (Fabiano Calixto,     Tarso M. de Melo, Marcelo Montenegro e Kleber Mantovani)

 

 Revista CACTO

Como Comprar

Índice | Livraria Editora Biografias | Atividades Culturais