Volta ao índice inicial

Programação cultural
Lançamentos de Livros-Exposições
Música-Teatro- Conversas na Livraria
Leituras de Poesia

 

MAIO/ 2006

 

 

06 de maio - 10 h


 

OBSERVATÓRIO DO POEMA 2006

– o arco , a lira e a poesia contemporânea

coordenação : Tarso de Melo

 

Em 2006 comemora-se – e é, de fato, algo a ser comemorado – o 50.º aniversário de edição do riquíssimo livro El arco y la lira , do poeta mexicano Octavio Paz (1914-1998). Aproveitando a efeméride , o Observatório do poema deste ano será dedicado a uma tarefa longa , prazerosa e exigente: realizar a leitura integral dessa obra de Paz lado a lado com alguns dos principais textos sobre poesia contemporânea brasileira.

O propósito da empreitada é aprofundar as discussões sobre questões atuais que são o objeto do Observatório há 19 encontros com o auxílio propiciado pelas reflexões de um grande poeta sobre seu ofício . O famoso livro de Octavio Paz se defronta com uma questão gigantesca sobre a especificidade do poético: há um modo de dizer – a poesia que não pode ser reduzido a qualquer outro ? Para responder a tal questão, Paz recorre a uma erudição impressionante , cruza os séculos , investiga as transformações do fazer poético, mas ainda mais impressionante é a leveza com que suas idéias – e, se é possível separar , seu texto sedutor – perpassam os imensos obstáculos que se colocam diante de qualquer tentativa de reduzir a questão e confundir poesia ( jogo que não se conforma a regras ) e poema ( esse caracol onde ressoa a música do mundo ”).

El arco y la lira conta , assim , de um leque imenso de dúvidas . É estimulante o modo como sua investigação amarra passado e presente, Oriente e Ocidente , ao descobrir as profundas continuidades entre a poesia das épocas e lugares mais distantes; os cinqüenta anos que se passaram desde seu lançamento não abalam (e a leitura detida que faremos será importante para sustentar a afirmação) em nada a relevância da contribuição de Paz para a compreensão das diversas formas atuais de manifestação da poesia .

Nosso objetivo , assim , será seguir o pensamento de Paz , apreendendo criticamente o alcance de suas reflexões , para alimentar os debates sobre a produção contemporânea . Para tanto, o livro de Paz foi dividido em dez partes, cuja leitura será acompanhada, a cada mês , de um texto sobre poesia contemporânea ( ensaios de caráter geral , resenhas , depoimentos de poetas) e, conseqüentemente , da leitura dos livros a que se referem tais textos ( ou , ao menos , dos poemas referidos no corpo dos ensaios / resenhas ).

Se for possível, ao final , descobrir as pontes e os abismos entre o quadro pintado em El arco y la lira e a poesia que se fez no último meio século e aquela que se faz hoje , o Observatório terá dado um passo tamanho . Se for possível , então , imaginar com muita petulância e algum acerto três ou quatro linhas que Octavio Paz gostaria de somar a uma edição de seu livro no ano de 2006, terá dado um salto .  

Há uma edição nacional de O arco e a lira , lançada em 1982, mas ela atualmente é de difícil acesso : esgotou há tempos na editora e raramente aparece nos sebos . Mais fácil de encontrar é a edição original em espanhol , da Fondo de Cultura Económica ( que publica as sucessivas edições da obra desde a primeira , em 1956, e tem uma livraria em São Paulo – tel. 3672.3397). A coletânea de ensaios lançada no Brasil em 1971 sob o título Os signos em rotação que provavelmente está em catálogo e é mais fácil de encontrar nos sebos – contém seis dos quinze ensaios de Paz que enfrentaremos; além do próprio “Os signos em rotação ”, traz ainda os textos Verso e prosa ”, “A imagem ”, “A consagração do instante ”, “ Ambigüidade do romance ” e “O verbo desencarnado”.

Por fim, vale lembrar que o Observatório continua sendo um grupo aberto de debate sobre as mais diversas questões que interessam ao leitor de poesia . Pela própria natureza das discussões, não é absoluta a continuidade entre os debates mensais , nem é obrigatória a leitura prévia dos textos selecionados ( por mais que seja desejável e recomendável, para o melhor aproveitamento de nosso tempo , que sejam lidos!).


 Clique aqui (programação) 

Volta ao topo

 

06 de maio / 17 de maio

 

 

CINECLUBE

Tema de maio: Cinema Brasileiro

 

 

 


sábado, 6 de maio de 2006 - 16h

 

Usaremos o primeiro longa de Lina Chamie 

Tônica Dominante (2000)

 



quarta-feira, 17 de maio de 2006 - 15h



 Atividade do Cineclube Alpharrabio – Cinéfilos, coordenados pelo prof. Edmundo Epifanio, conversam sobre os mais variados aspectos do cinema. O grupo está em formação e aceita participação de interessados. Agora são quinzenais (primeiros sábados e terceiras quartas do mês)

  http://cineclubeemsantoandre.blogspot.com/

 

 Volta ao topo

 

13 de maio (sábado) - 16 h

 

Idéias de encontro

Pensamento Atual

 

SÓCRATES

Sócrates (c470 a.C – 399 a.C) (filósofo grego, foi um dos seus discípulo Platão que lhe deu uma estrutura fundamental na história da filosofia).

Convidado: Marcos Sidnei Pagotto-Euzebio (mestre e doutor em Filosofia da Educação pela FE-USP. Coordenador Geral do Núcleo de Pesquisa Institucional da FAENAC)  

 

 

Idéias de encontro

Pensamento Atual

 

 

Como o pensamento de Sócrates, transmitido por seus discípulos, pode nos ajudar a pensar melhor sobre nossa realidade? O que as idéias de Marx ou de Freud, depois de tudo que já foi feito e desfeito com elas, têm a contribuir para o nosso tempo? Por que as meditações de Montaigne ainda são fundamentais para o nosso entendimento? Por que as obras de Paulo Freire, Florestan Fernandes, Celso Furtado e Antonio Candido ainda justificam que as busquemos por baixo das camadas e mais camadas de livros que, em tão pouco tempo, já as sucederam?

O Alpharrabio, com o apoio da Faculdade Editora Nacional (FAENAC) retoma o ciclo IDÉIAS DE ENCONTRO, agora dedicado a palestras sobre o PENSAMENTO ATUAL de autores cujas idéias tiveram repercussão mundial, ajudará você a lidar com essas perguntas que muitos têm feito, num momento em que, cada vez mais, tudo o que parecia sólido se desmancha no ar...

Filosofia, política, educação, literatura, enfim, a vida e tudo o que foi objeto da reflexão desses pensadores mudou depois deles. E nossos convidados, todos eles acostumados à profunda convivência com as obras desses autores, apresentarão ao público e debaterão as principais idéias que eles defenderam, buscando revelar o quanto há de atual, de vivo, de (ainda) perturbador no que disseram.

Além de ser uma grande oportunidade para aprender sobre alguns dos principais pensadores de todos os tempos, o ciclo será um estímulo à reflexão mais firme, mais profunda, com olhos mais abertos, sobre nossas próprias questões.

 Volta ao topo

 

 20 de maio - 16 h

 CONVERSA DE LIVRARIA

 

Conversa de livraria com a prof. Teresinha Ferrrari que é mestre em História Doutora em Ciência Política pela PUC-SP; professora da Fundação Santo André, pesquisadora do Núcleo de Estudos de Ideologia e Lutas Sociais NEILS-PUC-SP e autora do livro Fabricalização da cidade e ideologia da circulação (Terceira Margem Editora, 2005, 206 pp. São Paulo)  

"Se na era dourada do capital as cidades eram lugares relativamente à parte do processo produtivo direto, invólucros deste processo, hoje, tornaram-se espaços de estoque de mercadorias em trânsito, receptáculos não só das indústrias mas também de verdadeiras esteiras fordistas estendidas entre fábricas. Ao contrário de serem cidades sóbrias, limpas ou de serviços são cidades fabricalizadas que acolhem atividades laborativas de todo tipo como extensões urbanas da própria fábrica" (Fabricalização da cidade e ideologia da circulação)

 

 Volta ao topo

 

27 de maio - 16 h


 

Prova dos nove

ciclo Alpharrabio de documentários

A livraria Alpharrabio, com o apoio da Faenac promove a partir do mês de março, estendendo-se por todo o ano de 2006, um ciclo de exibição e debates sobre alguns dos melhores documentários nacionais. A proposta é dar ao público uma dupla oportunidade: assistir a produções que são tão bem realizadas quanto difíceis de encontrar nos grandes circuitos e, a seguir, conversar sobre elas com outros interessados e convidados especiais, que contribuirão para os bate-papos com suas visões particulares sobre o documentário.

A exibição dos nove documentários, seguida da conversa entre o público e o convidado, será sempre aos sábados, às 16h, no auditório da livraria Alpharrabio, localizado na Rua Eduardo Monteiro, 151, em Santo André/SP (tel. 4438.4358).

 

27 de maio - 16h

 

Janela da alma

[direção : João Jardim , Walter Carvalho – 2002, 73 min.]

Convidada : Nanci Barbosa

(é professora do curso de graduação Bacharelado  em Audiovisual do SENAC, integrante da Cátedra Prefeito Celso Daniel de Gestão de Cidades da Universidade Metodista de São Paulo, e do curso de Gestão e Políticas de Cultura e Gestão de Políticas Participativas para a cidade, também da Cátedra)

 


Janela da Alma

Dezenove pessoas com diferentes graus de deficiência visual , da miopia discreta à cegueira total , falam como se vêem, como vêem os outros e como percebem o mundo . O escritor e prêmio Nobel José Saramago, o músico Hermeto Paschoal, o cineasta Wim Wenders, o fotógrafo cego franco-esloveno Evgen Bavcar, o neurologista Oliver Sacks, a atriz Marieta Severo , o vereador cego Arnaldo Godoy, entre outros , fazem revelações pessoais e inesperadas sobre vários aspectos relativos à visão : o funcionamento fisiológico do olho , o uso de óculos e suas implicações sobre a personalidade , o significado de ver ou não ver em um mundo saturado de imagens e também a importância das emoções como elemento transformador da realidade ­ se é que ela é a mesma para todos ..

 

 

PROVA DOS NOVE

(documentários)

PROGRAMAÇÃO (sábado – 16h)

 

 

25 de março: Boca de Lixo

[direção: Eduardo Coutinho – 1993, 54 min.]

Convidado: Cláudio Oliveira (é cineasta, crítico e editor de audiovisual da revista eletrônica de cinema Cineimperfeito.com.br)

 

29 de abril: Nelson Freire

[direção: João Moreira Salles – 2003, 102 min.]

Convidado: Flávio Florence (Regente da Orquestra Sinfônica de Santo André, Venceu por duas vezes o Concurso Jovens Regentes da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, é autor de diversas transcrições musicais, revisões e orquestrações, já executadas por várias orquestras, no Brasil e no exterior).

 

27 de maio: Janela da Alma

[direção: João Jardim, Walter Carvalho – 2002, 73 min.]

Convidada: Nanci Barbosa (é professora do curso de graduação Bacharelado  em Audiovisual do SENAC, integrante da Cátedra Prefeito Celso Daniel de Gestão de Cidades da Universidade Metodista de São Paulo, e do curso de Gestão e Políticas de Cultura e Gestão de Políticas Participativas para a cidade, também da Cátedra) 

 

24 de junho: Raízes do Brasil: Sérgio Buarque de Hollanda

[direção: Nelson Pereira dos Santos – 2004, 140 min.]

Convidado:Cláudio Bastidas (Mestre e doutor em psicologia pela PUC/SP, autor de Outra Beleza: estudo da Beleza para Psicanálise e Perversão: psicanálise, futebol e subjetividade brasileira).

 

29 de julho: O Prisioneiro da Grade de Ferro

[direção: Paulo Sacramento – 2003, 123 min.]

Convidado: Humberto Pereira da Silva (Doutor em filosofia da educação pela USP, é professor de filosofia e de sociologia no ensino superior. Desenvolve também as atividades de crítico de cinema e de colunista de cultura em órgãos como Revista de Cinema, Trópico e Digestivo Cultural)

 

 

26 de agosto: A pessoa é para o que nasce

[direção: Roberto Berliner – 2004, 84 min.]

Convidado: Luís Alberto Abreu (dramaturgo, autor de mais de 3 dezenas de peças teatrais,entre as quais Bella Ciao, O livro de Jó e a tetralogia A comédia popular brasileira. Roteirista de cinema – Kenôma e Narradores de Javé – e TV – Hoje é Dia de Maria.

 

30 de setembro: ônibus 174

[direção: José Padilha – 2002, 128 min.]

Convidado: Sidnei Barreto (Doutorando em Linguística pela USP, professor da FAENAC).

 

28 de outubro: Justiça: o filme

[direção: Maria Augusta Ramos – 2004, 100 min.]

Convidada: Eliana Borges Cardoso (Advogada, mestre em direito pela USP, professora de prática trabalhista. Foi diretora da Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo (2001-2005)

 

25 de novembro: Passaporte Húngaro

[direção: Sandra Kogut – 2003, 71 min.]

Convidado: Aleksandar Jovanovic (Doutor em Semiótica e Lingüística Geral, tradutor e jornalista, atua na área de Linguagem e Educação.

 Volta ao topo

 

O Alpharrabio (a livraria e o café)
 funciona no seguinte horário:

segunda/sexta, das 13 às 19h

sábado, das 9h30 às 13h

ATENÇÃO

Nosso endereço:
 Rua Eduardo Monteiro, 151 - Jd. Bela Vista
Santo André - SP - Brasil

Fone: (11) 4438.4358 - e-mail: alpharrabio@alpharrabio.com.br

www.alpharrabio.com.br

 

Visite a Livraria e o Café Alpharrabio

Índice | Livraria | Editora | Centro Cultural | Abecês | Mapa do Site | Envie o seu comentário