Volta ao índice inicial

 

PROGRAMAÇÃO


Abril 2017

 abril / junho
exposição


1º de abril
sábados perversos


5 de abril
cronistas do tamanduateí


27 de abril
lançamento e conversa de livraria




Abril 2017


 

Exposição

Alpharrabio: Um quarto de século na Casa do Infinito

 


 

A exposição Alpharrabio: Um quarto de século na Casa do Infinito  

 

mostra, por meio de imagens, livros e objetos um pouco da trajetória dos 25 anos do Espaço Cultural, o “lugar de estar”, o “lugar de partilhar”, o “lugar de criar”, o “lugar de debater”, o “lugar de praticar alteridades”..
 

A idealização da exposição é de Luzia Maninha Teles Veras e a montagem é assinada por Zhô Bertholini. Até junho de 2017

 



1º de abril (sábado) 11h 

 

 

Realizaremos o XXIII encontro de "Sábados PerVersos - A Poesia em Questão", projeto de leitura crítica de poesia. O encontro, que ocorre mensalmente desde o final de 2014 no último sábado de cada mês, excepcionalmente teve a edição de março transferida para esta data. Dando continuidade à celebração dos 25 anos do Alpharrabio, a coordenação será coletiva, e cada participante é convidado a trazer para comentário o fato, assunto ou debate que mais o marcou nestas 22 edições anteriores realizadas. Aguardamos sua presença. Convide os amigos. Entrada franqueada a todos os interessados.

 



5 de abril (4ª feira) 19h30 


 

Cronistas do Tamanduateí é o primeiro de uma série de encontros que tem como objetivo a conversa, o debate e tudo mais sobre a Cidade de Santo André, tendo como ponto de partida a produção literária.

Nesse primeiro encontro, mediados pelo Jornalista e escritor Marcelo Mendez., os escritores Jairo Costa, Penélope Martins e Eduardo Kazé falarão de suas atuações, produções e andanças pelos becos da cidade. O evento é gratuito, aberto ao público.

 



27 de abril (5ª feira) 19h 

 

Conversa de Livraria, seguida de lançamento do livro
Quelé, a voz da cor: biografia de Clementina de Jesus,

 de Filipe Castro, Janaína Marquesini, Luana Costa e
Raquel Munhoz

 

Mulher, negra, mãe e dona de uma voz que “parecia subir da terra e vir do oco do tempo”, como registrou a jornalista Lena Frias, Clementina foi revelada aos palcos brasileiros em 1964, aos 63 anos, no show O Menestrel. Menos de dois anos depois, arrebataria o público internacional, no I Festival Mundial de Artes Negras, no Senegal, e em show no Festival de Cannes, na França. 
 

Quelé, a voz da cor traz a público a força, a doçura, e também a resistência, de Clementina de Jesus, desde seu nascimento em Valença, interior do Rio de Janeiro, em 1901, até sua morte, na capital do estado, em 1987. Não faltam a convivência apaixonada com o marido, Albino Pé Grande, o cuidado com os filhos, os netos e a amizade e o carinho com grandes nomes da música brasileira.
 

O Brasil em que eu acredito tem a voz dela. Rainha.” - Teresa Cristina, cantora e compositora 
 

Clementina de Jesus é muito mais que um ícone do samba e da música brasileira. Ela é o símbolo da mulher negra guerreira que, apesar de todos os preconceitos e injustiças, sobreviverá, oxalá, neste lindo livro que conta a sua história.” - Mariene de Castro, atriz, cantora e compositora 
 

Ela foi mesmo um acontecimento, aquela voz maravilhosa e forte, diferente de tudo o que as pessoas estavam acostumadas a ouvir. Cantava aqueles sambas maravilhosos com aquela elegância toda.” - Paulinho da Viola, cantor e compositor

 

 


Quelé, a voz da cor: biografia de Clementina de Jesus

Filipe Castro, Janaína Marquesini, Luana Costa e Raquel Munhoz
384 pg. Civilização Brasileira, 2017



 

 horário de funcionamento

de segunda/sexta, das 13 às 18h30

sábado, das 9h30 às 12h30

 

ATENÇÃO

Nosso endereço:
 Rua Eduardo Monteiro, 151 - Jd. Bela Vista
Santo André - SP - Brasil

Fone: (11) 4438.4358 - e-mail: alpharrabio@alpharrabio.com.br

www.alpharrabio.com.br

 

Visite a Livraria e o Café Alpharrabio

Índice | Livraria | Editora | Centro Cultural | Abecês | Mapa do Site | Envie o seu comentário