Volta ao índice inicial

FEVEREIRO/ 2005

 

 

 

12 de fevereiro  - sábado - 10 h

 

OBSERVATÓRIO DO POEMA

leituras de texto contexto contemporâneo

Convidamos a todos para observatório do poema”

um grupo permanente de leitura e debate de poesia contemporânea, que se reúne na Livraria Alpharrabio. Em clima informal, os participantes conversarão sobre alguns poemas selecionados e apresentados previamente pelo coordenador, o poeta Tarso de Melo, buscando enriquecer a leitura dos poemas pela experiência conjunta de crítica.

observatório do poema

 

ESPECIAL RACIONAIS MC´S

 

Eu não sou artista. Artista faz arte, eu faço arma.Sou terrorista.

Mano Brown

 

O objetivo desta edição do Observatório do poema é discutir duas faixas do mais recente do grupo de rap Racionais MC´S – Nada como um dia após outro dia. As duas faixas em questão, ambas de autoria do líder do grupo, Mano Brown, são representativas do trabalho que tem destacado este grupo como o principal no cenário da chamada cultura hip-hop ” (e não apenas nela). O estilo musical praticado pelo Racionais é marcado pela forte carga política das idéias , engajado na conscientização de uma imensa parcela da sociedade a respeito da condição de pobres, negros, jovens, da relação com a polícia, com as drogas etc.

Mano Brown canta suas letras como se proferisse acalorados discursos , mas sem perder de vista uma certa teatralidade na expressão (fazendo coexistir diversos personagens na forma dialogada das músicas , por meio da alteração de tons de voz). Neste sentido , letra e música (com o estilo de colagem próprio do rap ) formam um todo que é praticamente indivisível se tivermos por objetivo compreender profundamente os diversos aspectos das músicas . Deste modo, a fim de permitir uma melhor compreensão das longas letras que seguem transcritas abaixo, principalmente a quem ainda não tenha ouvido as faixas do disco , no encontro do Observatório serão ouvidas as gravações das duas músicas e, ainda , exibidos vídeos (de “Jesus chorou”, a participação do grupo no programa Ensaio, da TV Cultura; de “ Vida Loka II”, o vídeo-clip).  

O que se pretende, basicamente, ao trazer os raps para debate, num ciclo que tem sido circunscrito à discussão de poemas na sua forma, digamos, tradicional (letras pretas sobre o papel branco), é chamar a atenção, com o auxílio das provocações à leitura que estão ao final, para as questões que a forma de poesia encontrada no rap (a sigla de rhythm and poetry: ritmo e poesia) lança sobre as outras formas de poesia.  

Letras Racionais MC's

 

Provocações à leitura

 

19 de fevereiro  - sábado - 16 h

 

 

 

 

Convidamos a todos para

 

lançamento da revista

 

 

 

 

A Cigarra nº 39

 

 

 

Há sempre um modo novo de observar a cidade e suas manifestações artísticas/ poéticas e o graffiti é a mais emblemática perante as discussões de ser ou não ser arte . Muitos não vêem com bons olhos , outros simplesmente ignoram, mas alguns se propõem a contemplação e a reflexão sobre a liberdade e a criatividade desta expressão urbana , que tanto seduz jovens , onde cada qual busca sua identidade dialogando com uma realidade ambígua , entre inclusão ou exclusão , riscando e arriscando seus sprays na possibilidade de serem ouvistos.

A Revista A Cigarra , em sua edição de nº 39/ dezembro de 2004, abre suas páginas para que esta manifestação possa ser sentida , lida e vivida com o mesmo encanto dos que percebem “as galerias de arte a céu aberto ”.

Através da lente de João Colovatti (1945-2001) a poesia também se faz em imagens flagrantes , que na sua atuação de fotojornalista, “construíu uma obra de forma instintiva e funcional ”. São de sua exposição , Revelações de um Anti-Herói ”, realizada em nov./ dez . de 2004 no Salão de Exposições de Santo André, com curadoria e pesquisa de Marcello Vitorino, as fotos apresentadas nessa edição .

Na sua totalidade , mais de vinte poetas e poemas espalham-se / espelham-se transitando páginas e perfazendo vozes entre consagrados, novos e inéditos , estabelecendo assim a intenção de um panorama da poesia sem delimitação de fronteiras .

Além de uma celebração a memória de Hilda Hilst, comparece também a criatividade de Lucio Agra, Diego Vinhas , Danilo Bueno, Augusto de Campos , Cidia Peixoto, André Dick, Hélio Neri, Deise Assumpção, Jean de Oliveira , Lau Siqueira, Frederico Barbosa entre outros , incluindo os editores Jurema Barreto de Souza e Zhô Bertholini.

Perkins T Moreira é quem assina a nova visualidade gráfica compartilhando a edição de 22 anos de publicações e invenções d'A Cigarra .

 

23 de fevereiro  (Quarta-feira) das 15 às 17,30h

CINECLUBE

 

 

Cineclube

No dia 23 de fevereiro de 2005, o prof. Edmundo Epifanio, dá início às primeiras discussões do Cineclube, que a partir dessa data, passará a funcionar todas as quartas-feiras, das 15 às 17,30h, nas dependências da Livraria Alpharrabio.

Abaixo, a síntese do projeto do Coordenador Prof. Edmundo:

Cineclube - s. m.

associação que reúne apreciadores de cinema para fins de estudo e debates e para exibição de filmes selecionados

Etimologia: cine- + clube

(Dicionário Houaiss)

Objetivos

  • Iniciar a formação de um cineclube

  • Apoiar-se na infra-estrutura existente : TV , DVD e local

  • Definir grupo de pessoas constante, básico de cineclube

  • Definir atividades

Organização

  • Reuniões semanais

  • Toda quarta-feira , das 15:00 às 17:30hs com intervalo de 20 minutos

  • Todo mês será feita a divulgação do programa organizado

  • Início: dia 23 de fevereiro de 2005, considerando o início do 13º ano do Centro Cultural Alpharrabio

Atividade

  • Reunião de no máximo 20 pessoas

  • Uso de TV e DVD como provocador do tema escolhido

  • Raramente uso de filmes sem interrupção

  • Incentivar a participação de todos presentes

  • Síntese final de cada reunião

Organizador

  • Edmundo Epifanio Dias, professor aposentado

  • Formação acadêmica (USP) em História

  • Trabalhou no "Américo Brasiliense", Museu de Antropologia (USP) e Faculdade Metodista

  • Participação de uso pedagógico do Cinema e cineclube

Contatos: Alpharrabio Livraria: fone 4438-4358

 e-mail: alpharrabio@alpharrabio.com.br

 

26 de fevereiro  - sábado - 17 h

 

 

 

Convidamos a todos para

Conversa de Livraria com 

 

 

 

LUÍS ALBERTO DE ABREU 

e

 ADÉLIA NICOLETE

 

 

A já tradicional "Conversa de Livraria", há anos promovida pela Livraria Alpharrabio, em Santo André, desta feita traz Luís Alberto de Abreu e Adélia Nicolete para conversarem com o público presente, além de autografarem o livro "Até a Última Sílaba – O Teatro de Luís Alberto de Abreu", por Adélia Nicolete recentemente publicado dentro da Coleção Aplauso (Imprensa Oficial).

Trata-se de um texto que mostra a trajetória pessoal e artística do atuante dramaturgo, autor de mais de 3 dezenas de peças, escrito por Adélia (ela também dramaturga e roteirista, além de sua mulher na vida real), elaborado a partir de entrevistas com Abreu, habilmente escrito, de tal maneira a não perder a "dicção" do biografado: "Aprendi também que a gente escreve o que ouve. Teatro é oralidade e não literatura. Outra coisa: aprendi realmente a trabalhar em grupo. Escrever sozinho, no gabinete, como se diz, é uma coisa – você demora o tempo que quiser e, na maioria das vezes, não tem perspectiva de montagem. Com um grupo é diferente: o dramaturgo escreve quase concomitantemente ao trabalho do elenco, é uma coisa muito mais viva, porque o grupo sugere, comenta, ri, não gosta, cobra.".


Serviço:

"Conversa de Livraria" com Luís Alberto de Abreu e Adélia Nicolete, seguida de autógrafos do livro "Até a Última Sílaba" (Coleção Aplauso, R$ 9,00)

Local: Alpharrabio Livraria

Rua Eduardo Monteiro, 151 – Jardim Bela Vista 

Santo André – SP fone 4438-4358

Horária: 17h - Entrada Franca

 

 

O Alpharrabio (a livraria e o café)
 funciona no seguinte horário:

segunda a sexta-feira, das 12 às 19h.

sábado, das 10 às 19h.

 

ATENÇÃO

Nosso endereço:
 Rua Eduardo Monteiro, 151 - Jd. Bela Vista
Santo André - SP - Brasil

Fone: (11) 4438.4358 - e-mail: alpharrabio@alpharrabio.com.br

www.alpharrabio.com.br

 

Visite a Livraria e o Café Alpharrabio

Índice | Livraria | Editora | Centro Cultural | Abecês | Mapa do Site | Envie o seu comentário