Volta ao índice inicial

 

PROGRAMAÇÃO


fevereiro DE 2020


01 de fevereiro
sábados perVersos


08 de fevereiro
lançamento


22 de fevereiro
alpharrabio 28 anos


ALPHARRABIO 28 ANOS

 



 FEVEREIRO


01 de fevereiro (sábado) 11h

 

“Sábados PerVersos – a poesia em questão

 

Celebração do Centenário de nascimento do poeta João Cabral de Melo Neto, com a exibição do documentário  “Recife/Sevilha: João Cabral de Melo Neto”, de Bebeto Abrantes (52 minutos), seguido da leitura e comentário crítico de um poema de Cabral, pela poeta Deise Assumpção e discussão com os presentes.

 

 

 

“Recife/Sevilha: João Cabral de Melo Neto”
 

As cidades de Recife e Sevilha são presenças marcantes na obra e memória afetiva de João Cabral de Melo Neto. Ambas são portas de entrada para o conhecimento de sua vida e obra. No Recife, nasceu e passou toda a juventude. Em Sevilha e Barcelona - onde morou e cumpriu funções diplomáticas por muitos anos - viveu sua plena maturidade poética e existencial. Recife e Sevilha formam a mais perfeita síntese da vasa obra do poeta. Elas são uma espécie de "chave" de João Cabral, assumida por ele próprio no poema "Auto-Crítica":

 

"Só duas coisas conseguiram (des)feri-lo até a poesia:

O Pernambuco de onde veio

E o onde foi, a Andaluzia

Um, o vacinou do falar rico

Deu-lhe a outra fêmea e viva,

Desafio demente: em verso

Dar a ver Sertão e Sevilha.

 

 

"Sábados PerVersos - A Poesia em Questão", projeto de leitura crítica de poesia entra no seu quarto ano. Os encontros mensais ocorrem ininterruptamente desde novembro de 2014, contando sempre com um grupo interessado e interessante de pessoas que leram, discutiram, promoveram, escreveram e publicaram poesia.  É, sem dúvida, nosso projeto mais exitoso dos últimos anos.


Data: 01 de fevereiro [sábado] 10h30
Local: Alpharrabio Livraria
Rua Eduardo Monteiro, 151 - Jd. Bela Vista
09041-300 - Santo André/SP - informações: 11 4438.4358



08 de fevereiro (sábado) 11h

 

 

alpharrabio edições, dobradura editorial e martelo casa editorial
convidam para o lançamento dos livros

um quarto escuro e outras  embarcações
de conceição bastos
e
rastros
de tarso de melo.

 

 

um quarto escuro e outras embarcações, de Conceição Bastos

(Alpharrabio Edições e Dobradura Editorial, 2020)

 

 

Mais recente título do Catálogo Alpharrabio Edições, prioritariamente dedicado à literatura produzida na região do Grande ABC (SP). Edição em parceria com Dobradura Editorial.


(...) A mulher encontra a prosa tiquetaqueando no quarto da poesia, e lá dentro a desarma. A prosa fica em silêncio para gritar. E então a mulher pega o relógio e o subverte em girassol vivo. A diferença entre o vivo e o plástico é que o vivo teve todo o tempo do mundo. E o plástico já nasce sem o dom da morte.

O que não é amor, ela não toca. A mulher é um chapeuzinho na cracolândia. Cobre os olhos com ele para assumir o outro mundo, o mundo onde vive de verdade. Um mundo dentro do nosso. A vidência do corpo que é seu.

Ouço Conceição na leitura de cada conto. Ouço a sua voz e percebo que são feitos os contos, como ásperas luas, para serem lidos em voz alta de Conceição. Como uma anunciação.”

Tiago Novaes” no posfácio

 

 

 

A autora: Conceição Bastos nasceu em R. do Pombal – BA, em 1961, veio para SP em 1987 e, desde então, volta periodicamente aos caminhos da roça. Aportou em SBC em 2001 e, desde então, transita por SP, SBC, Mauá e Santo André. Graduada em Serviço Social, vive e trabalho em Mauá. Publicou os livros Diário de uma mulher em rota de Chuva, Dobra Literatura, 2011 e perto do coração o mar se levanta, pela mesma editora. Tem textos publicados em Estas histórias, antologia das oficinas de criação literária do Museu Lasar Segall, 2005, na Revista Tantas Letras, 2010 e alguns textos esparsos publicados em zines e blogs. Premiada em concurso literário – 1º lugar na categoria poesia em SBC. Pela Alpharrabio, Conceição também publicou “Cascos e Crinas sobre fundo escuro”, integrante da coleção PerVersas – literatura de autoria feminina, volume II, 2017. 

 


 

Rastros, de Tarso de Melo
martelo casa editorial, 2020

 

 

Antologia poética que reúne 155 poemas (e algumas séries), por ocasião dos 20 anos da publicação de seu primeiro livro, A lapso, Alpharrabio Edições, 1999. O próprio autor selecionou poemas de todos os seus livros, além de textos publicados esparsamente, reunindo-os sob um novo “princípio de (des)organização”. Como afirma na nota que abre o livro: “Ao embaralhar para este volume grande parte dos poemas escritos durante 20 anos, minha intenção era abrir novamente meu caderno à atenção dos leitores, mas agora explorando novas possibilidades de leitura desses poemas ao desarticular as relações em que se encontravam dentro dos livros originais e, de algum modo, propor novas relações entre eles. […] Arranquei todas as páginas do caderno múltiplo, descartei algumas, juntei outras. O que o leitor tem agora em mãos, sem dúvida, é um livro novo, em que poemas escritos em épocas diferentes se encontram para mudar uns aos outros e, mais que tudo, para se abrirem novamente aos leitores”.

 

O livro tem orelha assinada por Dalila Teles Veras, poeta e primeira editora do autor, e prefácio de Sérgio Alcides, poeta e professor da UFMG. Como posfácio, também apresenta as orelhas originalmente publicadas nos livros  A lapso (escrita por Júlio Castañon Guimarães), Carbono (por Carlito Azevedo), Caderno inquieto (por Heitor Ferraz Mello) e Íntimo desabrigo (por Carolina Serra Azul e Renan Nuernberger). O desenho da capa é de Hallina Beltrão.

 

«[…] “baralhados” pelo autor em sua ordem cronológica, não consegui ligar a maioria dos poemas ao conjunto original. O que li foi uma sólida obra, construída com o sentido de ser exatamente isto: uma Obra. Não uma obra encerrada num propósito meramente estético, mas uma obra aberta, compromissada, pronta a receber novas inserções que a ampliarão, sem modificá-la, porque já É o que É, ou seja, uma poética inconfundível, inserida na centralidade da literatura brasileira da atualidade.» (Dalila Teles Veras, na orelha)

 

«Rastros é uma antologia experimental, como a Antologia poética de Vinicius de Moraes, de 1954, e a de Carlos Drummond de Andrade, de 1962. Como foi o caso desses precedentes veneráveis, este é um livro a mais na bibliografia do seu autor. Não entra na cota subsidiária, à parte da obra. Forma um acréscimo. […] No caso de Tarso, o título já diz, em letras embaralhadas, o procedimento seguido, mais à mineira. Porém, com maior discrição, ele retira os tapumes, não deixa anteparos para trás. A lógica das aproximações se apaga do sumário, e o leitor fica livre para jogar, ele também, com recombinações possíveis, especulando, especulando-se igualmente, formando seus próprios rastros.» (Sérgio Alcides, no prefácio)

 

 

 

 

O autor:  Tarso de Melo nasceu em Santo André (SP) em 1976 e vive em SBC. Advogado e professor, doutor em Filosofia do Direito pela Universidade de São Paulo. Editou as revistas Monturo e Cacto, esta com Eduardo Sterzi, e colabora para diversos periódicos, como as revistas Cult e Quatro Cinco Um. É um dos editores da coleção Direitos e Lutas Sociais (Outras Expressões, Dobradura) e das Edições Lado Esquerdo. Desde os anos 1990 vem realizando diversas atividades de difusão e formação em literatura. Atualmente, com Heitor Ferraz Mello, é curador das leituras de poesia Vozes Versos, nas Tapera Taperá, SP; com Marcelo Lotufo, organiza o Passaporte: Literatura, no Goeth-Institut São Paulo; e é curador de Algaravia! da Biblioteca Mário de Andrade.

 


Data: 08 de fevereiro [sábado] 11h
Local: Alpharrabio Livraria
Rua Eduardo Monteiro, 151 - Jd. Bela Vista
09041-300 - Santo André/SP - informações: 11 4438.4358



22 de fevereiro (sábado) 11h

 

 

 

 

 

Celebração dos 28 anos da Livraria Alpharrabio

 

 

 

Seguindo a tradição, desde sua inauguração, a livraria, editora e espaço cultural Alpharrabio, promove um encontro festivo entre os autores de seu catálogo, artistas, leitores e amigos da casa. Não poderia ser diferente, neste ano em que se aproxima a comemoração das 3 décadas de sua existência.
 

Além dos abraços e das trocas afetivas e artísticas de sempre, a celebração inclui a abertura de uma instigante e oportuna exposição “Alpharrabio - 28 Anos à flor da pele” de Luzia Maninha Teles Veras, com a colaboração do poeta Zhô Bertholini, que consiste em 28 plaquetes artesanais, cada uma contendo uma ou mais frases de pensadores da atualidade, artistas, músicos, filósofos, ativistas, escritores, poetas, sobre assuntos cruciais e urgentes de nosso tempo. O título da exposição foi retirado de uma das versões da canção “O que será que será” de Chico Buarque.

 

 


Data: 22 de fevereiro [sábado] 11h
Local: Alpharrabio Livraria
Rua Eduardo Monteiro, 151 - Jd. Bela Vista
09041-300 - Santo André/SP - informações: 11 4438.4358




 horário de funcionamento

de segunda/sexta, das 13 às 18h30

sábado, das 9h30 às 12h30

 

ATENÇÃO

Nosso endereço:
 Rua Eduardo Monteiro, 151 - Jd. Bela Vista
Santo André - SP - Brasil

Fone: (11) 4438.4358 - e-mail: alpharrabio@alpharrabio.com.br

www.alpharrabio.com.br

 

Visite a Livraria e o Café Alpharrabio

Índice | Livraria | Editora | Centro Cultural | Abecês | Mapa do Site | Envie o seu comentário