Volta ao índice inicial

MAIO / 2003

Glau Piva

29 de maio - quinta-feira - 19:30 horas

 GLAU PIVA – MPB – na Alpharrabio

Cantora, compositora, multiinstrumentista e professora de música, Glau Piva começou sua carreia muito cedo. Aos 15 anos de idade já animava festas como guitarrista e vocalista de várias bandas.

Estudou harmonia e improvisação com vários professores, entre eles José Smith e David Damarques.

Completou 3 anos de estudo em música (teoria e violão erudito) na renomada   Fundação das Artes, em São Caetano do Sul, com acompanhamento prático do professor e produtor Gilberto Assis.

Arranjou, produziu e dirigiu os trabalhos para a gravação do CD Inflamável da Banda  Esmalte Frito, da qual era vocalista, guitarrista e violonista. Todas as canções eram de sua autoria.

Há 2 anos em carreira solo e com muito mais experiência. Glau gravou uma de suas canções com Oswaldo Montenegro e uma canção de Belchior acompanhada ao piano pelo virtuoso jazzista David Costa.

Com um repertório variadíssimo, desempenha um ótimo trabalho nos mais variados eventos. Sua interpretação com voz e violão tem impressionado muitos amantes da MPB.

Em 2002 gravou seu primeiro CD solo que leva o seu nome (Glau Piva).

Produziu em parceria com Mario Bach, músicas de sua autoria e de autoria do seu parceiro de composição, Rui Ferreira.

 
 

7 de maio de 2003 - 20:00 horas


Violão-Câmara-Trio

 VIOLÃO-CÂMARA-TRIO

SE APRESENTA NO 

PROJETO 4ª CUCA

Em sua sétima edição o Projeto 4ª Cuca 

trás para Santo André um Trio de violões

(agenda permanente de música erudita)

O Projeto 4ª Cuca foi idealizado para que o ABC amplie sua agenda de música erudita. Uma vez por mês, sempre às quartas-feiras, são convidados grandes músicos eruditos, que se apresentam na Livraria Alpharrabio. Depois do sucesso das edições anteriores, no próximo dia 7 de maio, o Projeto 4ª Cuca apresenta o Violão-Câmara-Trio, formado por Henrique Pinto, João Luiz e Douglas Lora.

Formado em 1988, o trio vem se apresentando em todo o Brasil. Seu disco, gravado no ano seguinte, foi considerado pelo maestro Júlio Medaglia, como o melhor disco de música instrumental do ano.

Seu amplo repertório, que vai da renascença ao século XX, com transcrições e obras originais, é interpretado com sonoridade orquestral, obtida com uma dinâmica brilhante e rica em nuances, valorizando cada momento da peça executada.

Sérgio Vasconcelos Corrêa, Edmundo Villa-Côrtes, Eduardo Escalante e Nilson Lombardi, são compositores que dedicaram obras ao Violão-Câmara-Trio. O grupo possui também um repertório de obras originais. Alaudistas e compositores violinistas contribuíram para este rico legado como: Mauro Giuliani, Ferdinando Carulli, L.Gragnani, J.K.Mertz, Ferenc Farkas, John Duarte, Nenéu Liberalquino, Paulo Bellinati entre outros. Este repertório transformou o Violão-Câmara-Trio num dos melhores grupos camerísticos do gênero.

O programa da noite contém

  1. J.S. Bach – Trio Sonata BWV 525 nº 1 – Allegro/Adágio/Allegro
  2. A. Vivaldi – Concerto em La Menor – Allegro/Larghetto y spirituoso/Allegro
  3. Toninho Horta - Diamantina
  4. Claude Debussy – Petit Piece – Golliwog’s Cakewalk
  5. Hermeto Paschoal – O Bebê
  6. Luigi Boccherini – Introdução e Fandango

No dia 11 de junho, o Projeto 4ª Cuca recebe o Quarteto Cinema Mudo 

Volta ao topo

DANÇA À DERIVA

8 de maio - quinta-feira - 20 horas

Nesta quinta-feira, dia 8.05, às 20h, estréia na 

Alpharrabio Livraria, o projeto "Dança à Deriva", uma parceria com o CUCA (Centro unificado de cultura e Arte) que tem a coordenação de Solange Borelli.

 O bailarino Sandro Borelli é o convidado desta estréia

 

 PROJETO DANÇA À DERIVA

O projeto Dança à Deriva tem como proposta aglutinar artistas, criadores e intérpretes, para uma mostra de trabalhos coreográficos, disseminando o que há de mais criativo e ousado em Dança Contemporânea no Grande ABC, criando um espaço de ação e reflexão dessa linguagem. Consiste, num primeiro momento, em criar uma rotina mensal de apresentações artísticas de criações coreográficas elaboradas por artistas, deixando um espaço aberto para discussões após as apresentações. Num segundo momento, o projeto terá a tendência de ampliar-se no sentido de também oferecer espaço para apresentações de artistas de toda e qualquer região do Estado de São Paulo.

Dança à Deriva tem como prioridade a formação e a qualificação do artista da região, buscando superar equívocos teóricos e operacionais, vislumbrando uma estética enquanto identidade. O projeto contará em sua estréia com a apresentação do bailarino e coreógrafo Sandro Borelli.


SANDRO BORELLI

Diretor Artístico, coreógrafo e intérprete do Grupo FAR-15. Foi bailarino de Cias. como Ballet da Cidade de São Paulo, Ballet Guaíra e Opera Paulista. Trabalhou como intérprete com importantes diretores como Ulisses Cruz, José Possi Neto, Jorge Takla, Marco Antonio Lima. Enquanto coreógrafo é um dos mais ousados e polêmicos artistas do atual panorama da dança paulista e tem em seu currículo cinco prêmios da A.P.C.A. (Associação Paulista dos Críticos de Arte) e um Promodança. Coreógrafo Revelação em 1992, Melhor Roteiro Coreográfico em 1994, Melhor espetáculo em1995, Melhor Coreógrafo em 1996, Melhor intérprete em 1999,Melhor Coreógrafo em 2000. Desenvolve seus trabalhos de criação de maneira independente com uma intensa produção de espetáculos apresentando-se regularmente no Brasil e exterior, e alcançando sucesso de público e crítica.

Sua trajetória, marcada por traços polêmicos, procura integrar de maneira singular o teatro, o gesto e o movimento. Literatura e pintura, preconceitos e minorias são temas e desafios desenvolvidos nas suas obras que busca, na individualidade dos integrantes, a unidade artística de seus espetáculos.

A partir de leituras, pesquisas e investigações de obras literárias que questionem o homem e a sociedade,Sandro constrói uma linguagem cênica que resulta numa dramaturgia singular e original, rompendo as fronteiras entre o Teatro e a Dança.

Borelli está sendo convidado para abrir o projeto Dança à Deriva, sobretudo por ser um coreógrafo que iniciou sua trajetória artística na região do Grande ABC, e por possuir uma produção artística que contém uma marca de rigor definida por uma linha estética amadurecida e consistente.

Logo após a performance, o espaço será disponibilizado para discussões sobre processo de criação coreográfica com o artista.

Informações: www.cuca.org.br – sborelli@cuca.org.br

 

Exposição de Pintura e Desenho

Caminhos de memórias

Constança Lucas

Constança Lucas  Título: Leremos
acrílica sobre tela - 1 metro X 1 metro - 2002/2003

Constança Lucas nasceu em Coimbra, em 1960 e cursou até o colegial em Portugal. Passou a viver em São Paulo no fim da década de setenta, onde fez Licenciatura Plena em Artes Plásticas na FAAP - Fundação Armando Alvares Penteado e Pós-Graduação em Artes na ECA - Escola de Comunicações e Artes  - USP.

Fez diversos cursos de artes plásticas, literatura, fotografia e de história da arte, em museus e instituições culturais.
Viveu em Lisboa de 1988 a 1992, onde realizou algumas exposições de pintura e desenho, 
coletivas e individuais.
 Também desenvolveu a pintura em azulejos
 e trabalhos na área de artes gráficas.

Tem participado de várias exposições coletivas desde o início da década de oitenta em diferentes países
 (Portugal, Espanha, Bélgica, Checoslováquia, França, Hungria, Itália, Japão, Argentina, Alemanha, Austrália e Brasil). Realizou diversas exposições individuais em Portugal e no Brasil.
É autora de inúmeros desenhos publicados
 em jornais, revistas e livros.

Atualmente vive e trabalha em São Paulo. Desenvolve o seu trabalho em pintura, desenho, gravura, aguarela e infografia.

http://www.constancalucas.dialdata.com.br

Volta ao topo

O Alpharrabio (a livraria e o café)
 funciona no seguinte horário:

segunda/sexta, das 13 às 19h

sábado, das 9h30 às 13h

ATENÇÃO

Nosso endereço:
 Rua Eduardo Monteiro, 151 - Jd. Bela Vista
Santo André - SP - Brasil

Fone: (11) 4438.4358 - e-mail: alpharrabio@alpharrabio.com.br

www.alpharrabio.com.br

 

Visite a Livraria e o Café Alpharrabio

Índice | Livraria | Editora | Centro Cultural | Abecês | Mapa do Site | Envie o seu comentário