Volta ao índice inicial

maio/ 2004

 

07 de maio - (sexta-feira) 18 h

 

 

Lançamento de Palavras ... se feitas de carne

(Cadernos n° 11 – Católicas pelo Direito de Decidir), 

de Nancy Cardoso Pereira , seguido do debate : Fundamentalismos e os direitos das mulheres ,

com a autora.

 

 

 

Nancy  Cardoso Pereira, é teóloga feminista e pastora metodista, militante e assessora de formação da Comissão Pastoral da Terra, mestrada e doutorada em Ciências da Religião na UMESP; pós-doutorado em História Antiga na Unicamp (em andamento); Publicou os livros:

* Maria vai com as outras, Cebi, 1998

* Amantíssima & Só, Ed. Olho d´Água, 2000

* Cotidianos Sacramentos, Católicas (CDD), 2001

* ... e agora esse: Palavras se feitas de carne, 2003

 

Entrada Franca

 

O evento conta com o apoio da Féminina .  

¤ Volta ao topo

 

08 de maio - (sábado) 17 h

LANÇAMENTO

 

Lançamento da Coleção Poesia Viva da Cidade

(Nordestal Editora , Recife )

 

 A Alpharrabio recebe o jornalista , poeta e editor Juareiz Correya, para uma Conversa de Livraria , seguida de lançamento das antologias Poesia Viva do Recife (100 poetas vivem, amam e eternizam a cidade ), organizada por Juareiz Correya e Poesia Viva de Natal ( Homenagem ao 4° Centenário da Cidade ), organizada por Manoel Onofre Jr.

Na ocasião , será apresentada a Coleção Poesia da Cidade , com a publicação, também da antologia Poesia Viva de São Paulo, organizada por Juareiz Correya, com a colaboração de Dalila Teles Veras, a ser lançada em setembro /2004, em homenagem ao 45° Aniversário da Cidade de São Paulo.

Reunindo cerca de 200 poemas , publicados desde os anos 50 do século passado , a antologia paulistana contará com a participação de mais de 100 poetas contemporâneos .

Já estão sendo organizadas, para a Coleção Poesia da Cidade , as antologia de Fortaleza , João Pessoa , Maceió e Goiânia.

O jornalista e editor Juareiz Correya, que trabalhou como repórter do Diário do Grande ABC na década de 70, publicou diversos livros ( ensaios , poesia ), atualmente dirige a Nordestal Editora ( Recife ) e é presidente da Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho , em Palmares , PE, cidade onde nasceu.

   

Entrada Franca

¤ Volta ao topo

 

 

14 de maio - (sexta-feira) 18 h

 

 

Três veteranos do udigrudi brasileiro traçam, em ritmo de epopéia e farsa, a extravagante busca da glória quatrocentona da tresloucada capital paulista.

 

O Paulistano da Glória


Xalberto

Bira e Sian

 

Fruto da combinação do traço de três artistas, a história em quadrinhos O Paulistano da Glória é uma superposição e justaposição de idéias, roteiros, lay-outs e artes-finais. Com abordagens muito diferentes, os autores - Xalberto, Bira e Sian - não hesitam em retratar personagens, cenários e situações cada um à sua maneira. Desta forma, o que para muitos seria um erro torna-se o ponto alto de uma sátira feita a seis mãos.

Em meio a uma narrativa alucinante e bem-humorada, Roque Filho e sua cara-metade, Glória, enfrentam as arapucas do diabólico Dr. Hellmutt a fim de salvar a empresa da família. Exortados pelo fantástico Prof. Zaratetras, a quem os dois pedem ajuda, elementos da cidade de São Paulo ganham realce e contornos de ópera-bufa.

Insano e vibrante, O Paulistano da Glória brinca com o dia a dia caótico da grande metrópole, comemorando, em cada uma de suas páginas, os 450 anos da Paulicéia Desvairada.

¤ Volta ao topo

22 de maio - (sábado) 17 h

IDÉIAS DE ENCONTRO - cancelado

 

 

Com profundo pesar, comunicamos o cancelamento da palestra Qual o lugar das crenças na escola pública ? Reflexões sobre a proibição do véu islâmico nas escolas francesas

 do ciclo Idéias de Encontro, prevista para o dia 22.05.04, em razão do falecimento do conferencista, Prof. Luiz Paulo Labriola, que teve prematuramente interrompida sua brilhante carreira em prol da Educação.

 

 

 

 

Qual o lugar das crenças na escola pública ?

Reflexões sobre a proibição do véu islâmico nas escolas francesas - com o prof. Luiz Paulo Labriola




Luiz Paulo Labriola é
pesquisador em Filosofia da Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo - USP; professor de Filosofia em projetos de formação docente em Cidadania e Direitos Humanos nas redes municipais de ensino de São Paulo e Itatiba; orientador pedagógico e educacional do Colégio Oswald de Andrade-Caravelas. Articulista e ex-editorialista de Educação da Folha de São Paulo"

 

Entrada Franca

 

¤ Volta ao topo

 

 

 

28 de maio - (sexta-feira) 18 h

 

 

“Este não é um livro - é uma conversa... Entrecortada, lenta, poética. Um entregou o poema inicial para o outro, sem querer. Foi respondido com poesia...”

 

Versos Avessos


Celso Freire e

Débora de Simas

 

Alpharrabio Edições

104 pgs.

 

 

 

VERSOS AVESSOS 

 

Em ritmo de conversa, poesias de Celso Freire e Debora de Simas

 ganham publicação na qual até a maneira de folhear merece destaque    

 

 

“Este não é um livro - é uma conversa... Entrecortada, lenta, poética. Um entregou o poema inicial para o outro, sem querer. Foi respondido com poesia...”.Assim é Versos Avessos (Alpharrabio edições, 104 páginas, preço estimado: R$ 25,00), livro, ou diálogo, que une dois poetas mineiros radicados em São Paulo, Celso Freire e Debora de Simas,   tendo como moto-contínuo um dueto de emoções e sentimentos, que fluem e se completam, ao passar de cada página.

“Assumimos dois personagens, que encontram na poesia uma forma de manifestar suas mais intimas sensações“, afirma Celso Freire, explicando como a obra está estruturada. “A cada fragmento de poema, revela-se seu avesso, escrito como resposta ao primeiro, completando-o e abrindo espaço para um novo verso, que recomeça na página seguinte”.

“Assim, cada fragmento de um poema remete o leitor a uma mesma situação, porém, analisada sob dois diferentes pontos de vista”, completa Debora, repetindo na prática a mesma dobradinha que deu origem ao livro.

No decorrer da obra, que também conta com ilustrações do artista plástico Fabrízio Dell`Arno, o leitor ainda encontra páginas em branco, um incentivo para que componha seus próprios versos. “A ferramenta do poeta é a emoção, substância da qual, de resto, todos somos feitos, Basta, então, um impulso para que coloquemos isso para fora, e é disso, no final das contas, de que trata o livro: a poesia está dentro de nós, basta virar a página e fazer do avesso o verso”, definem, novamente em conjunto, os autores.       

 

O lançamento

 

  • Dia 28 de maio, às 18h, na Editora Alpharrabio (rua Eduardo Monteiro, 151 – Santo André).
  • Dia 4 de junho, às 19h, no IMES (Centro Universitário Municipal de São Caetano do Sul – Av. Goiás, 3400).

     Em ambas as ocasiões os autores estarão presentes para a tradicional rodada de autógrafos, além da leitura de alguns dos poemas que integram a obra.  

   

O Trecho

 

Versos

 

Se eu

tivesse que jogar fora

um beijo,

seria aquele

que você me deu,

enquanto tecia

nosso último

encontro

 

                                        Avessos

                                       

Se eu tivesse que

                                  agarrar suas palavras,

        seriam as promessas de amor infindável

                                              que se foram,

                              mesmo sem o seu adeus.

 

Os autores

 

Celso Freire

Mineiro, nascido em Coronel Murta, no Vale do Jequitinhonha, aos dezenove dias de maio, do ano de graça de 1952. Radicado em São Paulo de 1974, fez carreira no ensino superior. É professor universitário, na cadeira de Administração, no IMES e na Fundação Santo André. Administrador, professor, produtor cultural, poeta. Esse é Joaquim Celso Freire Silva, 51 anos, Pró-Reitor Comunitário e de Extensão do IMES – Centro Universitário de Ensino Superior de São Caetano do Sul. Professor Joaquim, para os estudantes e colegas da universidade. Celso, para os familiares e companheiros de infância. A poesia surgiu ocasionalmente, ainda na juventude, e foi tomando espaço em sua vida. Em 1997 publicou, pela Alpharrabio Edições, seu primeiro livro, Fazendo Poeira, que reúne poemas sobre o Vale do Jequitinhonha, o rio e a gente. Agora, em Versos Avessos, com Debora  de Simas o tema central é o rio que como dentro da gente. Ora límpido, ora turvo. Às vezes um fio, as vezes torrente. Perene: sempre.

 

Debora de Simas

Mineira, nascida em Poços de Caldas, no sul de Minas Gerais, num verão quente de 1973. Chegou em São Paulo em 1977. Graduou-se em Letras, apaixonada principalmente por literatura brasileira. Secretária, professora de língua portuguesa e inglesa. Essa é Debora de Simas, 30 anos. Estreando neste livro como poeta, apesar de já ter participado das  antologias "O Beijo", "Escrevendo Mulheres" e " Todas a Formas de Amar", publicadas pela Editora Casa do Novo Autor, e do livro "Fazendo Poeira", de Celso Freire, publicado pela Alpharrabio Edições. Agora, nessa aventura literária, está de mãos dadas com Celso Freire, confidenciando em versos uma história de amor e suas rimas, dor ou ardor. Falam daquela força inefável que já cantou o poeta: a que move o sol e as outras estrelas.


 ¤ Volta ao topo

O Alpharrabio (a livraria e o café)
 funciona no seguinte horário:

segunda/sexta, das 13 às 19h

sábado, das 9h30 às 13h

 

ATENÇÃO

Nosso endereço:
 Rua Eduardo Monteiro, 151 - Jd. Bela Vista
Santo André - SP - Brasil

Fone: (11) 4438.4358 - e-mail: alpharrabio@alpharrabio.com.br

www.alpharrabio.com.br

 

Visite a Livraria e o Café Alpharrabio

Índice | Livraria | Editora | Centro Cultural | Abecês | Mapa do Site | Envie o seu comentário