Volta ao índice inicial

Programação cultural
Lançamentos de Livros-Exposições
Música-Teatro- Conversas na Livraria
Leituras de Poesia

 

OUTUBRO/2006

 
 

04 de outubro (quarta)

 

CINECLUBE

Tema de outubro: Filosofia

 

 

quarta, 04 de outubro de 2006 - 15h

 

Tema mês de outubro Filosofia

O Sétimo Selo 

Direção : Ingmar Bergman

Após dez anos , um cavaleiro (Max Von Sydow) retorna das Cruzadas e encontra o país devastado pela peste negra . Sua em Deus é sensivelmente abalada e enquanto reflete sobre o significado da vida , a Morte (Bengt Ekerot) surge à sua frente querendo levá-lo, pois chegou sua hora . Objetivando ganhar tempo , convida-a para um jogo de xadrez que decidirá se ele parte com a Morte ou não . Tudo depende da sua vitória no jogo e a Morte concorda com o desafio , que não perde nunca .

 

Título Original : Det Sjunde Inseglet
Tempo de Duração : 100 minutos
Ano de Lançamento (Suécia): 1956

 


 Atividade do Cineclube Alpharrabio – Cinéfilos, coordenados pelo prof. Edmundo Epifanio, conversam sobre os mais variados aspectos do cinema. O grupo está em formação e aceita participação de interessados. Agora são quinzenais (primeiras  e terceiras quartas do mês)

  http://cineclubeemsantoandre.blogspot.com/

 

 Volta ao topo

 

 

quinta, 05 de outubro, 18h

 

Lançamento dos Livros:

 

 

85 letras e um disparo

 de Sacolinha

 

 

Canibalismo do Enigma (anti-romance)

de Iberê Rodrigues

 

 


 

 

85 letras e um disparo

Sacolinha

15X21 cm, 104pp. - R$ 14.90.

 

Em seu primeiro livro Graduado em Marginalidade, Sacolinha prendeu a atenção dos leitores da primeira a última página; notou-se muito que as pessoas tiveram uma grande surpresa no fim do romance.
Com isso, o autor alcança um dos objetivos do bom artista, que é o de conquistar o seu público.
Em   85 Letras e um Disparo não será diferente, pois neste livro, tudo pode acontecer; desde de um escritor que viaja 240 km de trem para vender seus livros em bares, até uma prostituta que tem argumentos suficientes para provar que não é prostituta.
Durante a leitura desta obra, nota-se que Sacolinha tem uma escrita meticulosa e cheia de surpresas, por isso alertamos o leitor para que não leve um choque e nem caia na risada desesperadamente. Mais uma vez o autor nos brinda em grande estilo, como tem que ser . Nada de demagogia, apenas literatura que sem dúvida terá lugar de destaque, como escreveu Moacyr Scliar no prefácio desta obra.

 

Sacolinha, nome artístico de Ademiro Alves de Sousa, nasceu em São Paulo no dia 09 de agosto de 1983. Sempre foi um sujeito inquieto. No ano de 2002, essa inquietação atingiu o auge, e foi neste momento que Sacolinha se apegou a leitura e logo em seguida adotou a escrita como instrumento de desabafo . “Escrevo para se extravasar”, afirma ele. Em dezembro de 2002, ele criou o Projeto Cultural Literatura no Brasil, com o intuito de divulgar os escritores desconhecidos e levar leitura aos que não têm acesso .

No ano de 2003 iniciou suas participações em diversos concursos literários, sendo premiado em muitos deles. Iniciou a escrita do seu primeiro romance Graduado em Marginalidade em abril de 2004, terminando essa produção em novembro do mesmo ano. Mas foi lançá-lo em agosto de 2005, iniciando a sua entrada no mundo dos autores publicados. Participa de diversas revistas e antologias e escreve mensalmente para vários sites de literatura . De dezembro de 2004 à fevereiro de 2006, foi presidente do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento Sócio-Cultual Negro Sim . Produziu o vídeo-documentário do Projeto Cultural Literatura no Brasil, hoje com o nome de Associação. Atualmente trabalha como Coordenador Literário na Secretaria de Cultura de Suzano - SP e é graduando em Letras na Universidades de Mogi das Cruzes - SP. Agitador cultural, faz palestras sobre literatura, questão racial e desenvolve freqüentemente eventos literários.

 


 

Canibalismo do Enigma (anti-romance)

Iberê Rodrigues

 

 

Artista plástico surrealista dos mais respeitados, Iberê, desta vez através da vivificação da palavra, consegue transferir para seu livro (denominado por ele como anti-romance), todos os ingredientes classicamente pintados por Miró e Dali.

Conhecido em todo o mundo como movimento pictórico entre guerras, o Surrealismo determinou liberar na arte as vozes de nosso silêncio maior, o clamor de nosso eu subliminar, de nosso inconsciente diabólico; um movimento literário promovido por o André Breton e nascido da análise dos sonhos e da livre associação, ambos preconizados por Freud.

Em seu marcante livro, Iberê Rodrigues faz experiências com o

automatismo - uma maneira subliminar de criar-se a obra de arte sem o controle Vigilante e policianesco do consciente. Assim, Canibalismo do Enigma nos apresenta como um grande despertar do imaginário, um fluido e serpiginante painel que busca deliberadamente, em suas páginas, a união do sério e do bizarro; do coerente e do Irracional. Um deliberar expressivo que nos clama pela atenção à verdades maiores, ocultas, significantes e inalcançáveis através da lógica. Esse é a base literária de Canibalismo do Enigma.

 

Volta ao topo

(sábado) 7 de outubro - 10 h

 

 

OBSERVATÓRIO DO POEMA 2006

– o arco , a lira e a poesia contemporânea

coordenação : Tarso de Melo

  Em 2006 comemora-se – e é, de fato, algo a ser comemorado – o 50.º aniversário de edição do riquíssimo livro El arco y la lira , do poeta mexicano Octavio Paz (1914-1998). Aproveitando a efeméride , o Observatório do poema deste ano será dedicado a uma tarefa longa , prazerosa e exigente: realizar a leitura integral dessa obra de Paz lado a lado com alguns dos principais textos sobre poesia contemporânea brasileira.

O propósito da empreitada é aprofundar as discussões sobre questões atuais que são o objeto do Observatório há 19 encontros com o auxílio propiciado pelas reflexões de um grande poeta sobre seu ofício . O famoso livro de Octavio Paz se defronta com uma questão gigantesca sobre a especificidade do poético: há um modo de dizer – a poesia que não pode ser reduzido a qualquer outro ? Para responder a tal questão, Paz recorre a uma erudição impressionante , cruza os séculos , investiga as transformações do fazer poético, mas ainda mais impressionante é a leveza com que suas idéias – e, se é possível separar , seu texto sedutor – perpassam os imensos obstáculos que se colocam diante de qualquer tentativa de reduzir a questão e confundir poesia ( jogo que não se conforma a regras ) e poema ( essecaracol onde ressoa a música do mundo”).

El arco y la lira conta , assim , de um leque imenso de dúvidas . É estimulante o modo como sua investigação amarra passado e presente, Oriente e Ocidente , ao descobrir as profundas continuidades entre a poesia das épocas e lugares mais distantes; os cinqüenta anos que se passaram desde seu lançamento não abalam (e a leitura detida que faremos será importante para sustentar a afirmação) em nada a relevância da contribuição de Paz para a compreensão das diversas formas atuais de manifestação da poesia .

Nosso objetivo, assim, será seguir o pensamento de Paz , apreendendo criticamente o alcance de suas reflexões , para alimentar os debates sobre a produção contemporânea . Para tanto, o livro de Paz foi dividido em dez partes, cuja leitura será acompanhada, a cada mês, de um texto sobre poesia contemporânea (ensaios de caráter geral, resenhas, depoimentos de poetas) e, conseqüentemente, da leitura dos livros a que se referem tais textos (ou, ao menos, dos poemas referidos no corpo dos ensaios / resenhas ).

Se for possível, ao final, descobrir as pontes e os abismos entre o quadro pintado em El arco y la lira e a poesia que se fez no último meio século e aquela que se faz hoje, o Observatório terá dado um passo tamanho. Se for possível, então, imaginar com muita petulância e algum acerto três ou quatro linhas que Octavio Paz gostaria de somar a uma edição de seu livro no ano de 2006, terá dado um salto.  

Há uma edição nacional de O arco e a lira, lançada em 1982, mas ela atualmente é de difícil acesso: esgotou há tempos na editora e raramente aparece nos sebos . Mais fácil de encontrar é a edição original em espanhol , da Fondo de Cultura Económica ( que publica as sucessivas edições da obra desde a primeira , em 1956, e tem uma livraria em São Paulo – tel. 3672.3397). A coletânea de ensaios lançada no Brasil em 1971 sob o título Os signos em rotação que provavelmente está em catálogo e é mais fácil de encontrar nos sebos – contém seis dos quinze ensaios de Paz que enfrentaremos; além do próprio “Os signos em rotação ”, traz ainda os textosVerso e prosa”, “A imagem”, “A consagração do instante”, “Ambigüidade do romance” e “O verbo desencarnado”.

Por fim, vale lembrar que o Observatório continua sendo um grupo aberto de debate sobre as mais diversas questões que interessam ao leitor de poesia . Pela própria natureza das discussões, não é absoluta a continuidade entre os debates mensais, nem é obrigatória a leitura prévia dos textos selecionados ( por mais que seja desejável e recomendável, para o melhor aproveitamento de nosso tempo, que sejam lidos!).


 

O verbo desencarnado

- Octavio Paz , “O verbo desencarnado” em O arco e a lira (pp. 283/305)

- Octavio Paz , “Whitman, poeta da América” em O arco e a lira (pp. 364/368)

- Flora Süssekind, “A poesia andando” em A voz e a série (pp. 171/178)

 

[estudo das relações entre a poesia contemporânea brasileira e seu tempo , com especial destaque para o livro As Banhistas de Carlito Azevedo]

 Clique aqui (programação completa) 

Volta ao topo

 

18 de outubro (quarta) - 15h

 

CINECLUBE

Tema de outubro: Filosofia

 

quarta, 18 de outubro de 2006 - 15h

 

Tema mês de outubro Filosofia

O Sentido da Vida

Direção : Monty Python

Tempo : 107 minutos
Ano de Lançamento : 2004

 

O impagável , cínico , sarcástico e hilariante grupo inglês de humor , Monty Python desempenha uma série de registros dos assuntos mais importantes da vida . Nascimento, religião , trabalho , casamento , morte , nada escapa da crítica mordaz e ferina do grupo . É uma emocionante mistura de sátiras surreais sobre o ciclo da vida .

 


 Atividade do Cineclube Alpharrabio – Cinéfilos, coordenados pelo prof. Edmundo Epifanio, conversam sobre os mais variados aspectos do cinema. O grupo está em formação e aceita participação de interessados. Agora são quinzenais (primeiras  e terceiras quartas do mês)

  http://cineclubeemsantoandre.blogspot.com/

 

Volta ao topo

 

20 de outubro (sexta) - 18 às 21h

LANÇAMENTO 

Lançamento do Livro 

O INVESTIDOR JUDEU 

de Marcelo José Veiga da Silva

 

sexta, 20 de outubro de 2006 - 18 às 21h

 

O INVESTIDOR JUDEU

A imagem é conduzida ao cérebro e este reproduz e decodifica. É desta forma que vem o objetivo desta narrativa, decodificar a evolução do personagem com a historia do país, sempre na visão do mesmo . Seu inicio mais parece uma autobiografia, de pensamentos da infância. E percebemos sim, que mesmo sendo uma autobiografia, nos leva a trafegar pelos caminhos da luta com a vida e tudo acontece com rapidez, que quando menos esperamos, estamos vivendo a luta do personagem e desejando saber que irá acontecer .

Procuramos sempre saber como foi a vida dos imigrantes, que fizeram uma longa viagem ao rumo de novas terras e oportunidades. Isto já foi contado de tantas formas, mas principalmente dos imigrantes Italianos, pelo atrativo que tem esta raça. Um povo sem pátria, não tem o mesmo atrativo e nem mesmo procuramos saber o porquê deste fato.

Marcos Benjó é um destes imigrantes, mas com uma diferença, é do povo Judeu. Descobre este país da forma pura, mesquinha e preconceituosa. Afinal somos um país Católico e aprendemos deste da tenra idade, a desconfiar desta raça. Em sua narrativa, nos leva a entender a história  e a evolução dos tempos que acontece com sua família e o país. Sempre o prisma de sua visão pessoal.

Esta narrativa não tem como obrigação fazer com que o leitor, entenda a historia política do país, mas fazer sim perguntas que nunca são respondidas e quando as são, vem sempre do lado oficial. Buscando entender que por mais que não participamos e não temos interesse em participar da política, sofremos as conseqüências.

Com esta leitura , nos leva a vivenciar fatos conhecidos, ou até mesmo desconhecidos de nossa nação, junto com a vida da família de imigrantes Judeus. E descobrimos o quanto todos os imigrantes lutaram para formar sua ligação com a nova terra que adotaram. Descobrir no livro “O Investidor Judeu” uma nova maneira de narrar a historia, junto com a historia pessoal do personagem e assim descobrimos alguns porquês da política e da história desta nação , isso de forma clara e simples na visão do personagem Marcos Benjó.  

 Volta ao topo

 

 21 de outubro (sábado) - 16 h

 

 

Idéias de encontro

Pensamento Atual

 

 

CELSO FURTADO

 

 

"Quero registrar hoje, aqui, uma idéia que há tempo venho acariciando: escrever uma História da Civilização Brasileira”. (1937)

 

 

Celso Furtado, palestra da profa. Rosa Maria Viera

sobre o pensamento atual de Celso Furtado

 

Celso Furtado (1920 – 2004)

(Economista, ministro do governo João Goulart, e autor, entre outros , Formação Econômica do Brasil, A pré-revolução brasileira, O mito do desenvolvimento econômico, Cultura e desenvolvimento em época de crise e O capitalismo global

 

Convidada : Rosa Maria Vieira

(Mestre em História Econômica e Doutora em História Social. Pesquisadora na área de pensamento econômico brasileiro. Professora na FGV-SP (na área de sociologia ) e na Faculdade de Economia da PUC-SP, umas das coordenadora do HIMEPE, Núcleo de História Econômica, Memória e Pensamento Econômico, da FEA da PUC-SP.

 

 

 

Idéias de encontro

Pensamento Atual

 

 

Como o pensamento de Sócrates, transmitido por seus discípulos, pode nos ajudar a pensar melhor sobre nossa realidade? O que as idéias de Marx ou de Freud, depois de tudo que já foi feito e desfeito com elas, têm a contribuir para o nosso tempo? Por que as meditações de Montaigne ainda são fundamentais para o nosso entendimento? Por que as obras de Paulo Freire, Florestan Fernandes, Celso Furtado e Antonio Candido ainda justificam que as busquemos por baixo das camadas e mais camadas de livros que, em tão pouco tempo, já as sucederam?

O Alpharrabio, com o apoio da Faculdade Editora Nacional (FAENAC) retoma o ciclo IDÉIAS DE ENCONTRO, agora dedicado a palestras sobre o PENSAMENTO ATUAL de autores cujas idéias tiveram repercussão mundial, ajudará você a lidar com essas perguntas que muitos têm feito, num momento em que, cada vez mais, tudo o que parecia sólido se desmancha no ar...

Filosofia, política, educação, literatura, enfim, a vida e tudo o que foi objeto da reflexão desses pensadores mudou depois deles. E nossos convidados, todos eles acostumados à profunda convivência com as obras desses autores, apresentarão ao público e debaterão as principais idéias que eles defenderam, buscando revelar o quanto há de atual, de vivo, de (ainda) perturbador no que disseram.

Além de ser uma grande oportunidade para aprender sobre alguns dos principais pensadores de todos os tempos, o ciclo será um estímulo à reflexão mais firme, mais profunda, com olhos mais abertos, sobre nossas próprias questões.  



Idéias de encontro

Pensamento atual

 

 

21 fevereiro (terça - 18h)

Pensamento Atual : Montaigne (1533-1592)

Convidado : José Mindlin

 

11 março (sábado - 16h)

Pensamento Atual : Karl Marx (1818-1883)

Convidado : Antonio Rago Filho

 

13 de maio (sábado - 16h)

Pensamento Atual : Sócrates (c470 a.C. - 399a.C.)

Convidado : Marcos Sidnei Eusébio

 

10 de junho (sábado - 16h)

Pensamento Atual : Paulo Freire (1921-1997)

Convidado : Daniel Pansarelli

 

12 de agosto (sábado - 16h)

Pensamento Atual : Sigmund Freud (1856-1939)

Convidado : Siegfried Wehr

 

 16 de setembro (sábado - 16h)

Pensamento Atual : Florestan Fernandes (1920-1995)

Convidado : João Carlos de Morais

 

21 de outubro (sábado - 16h)

Celso Furtado (1920-2004)

Convidada : Rosa Maria Vieira

 

11 de novembro (sábado - 16h)

Pensamento Atual : Antonio Candido (1918)

Convidado : Vera Vieira

Volta ao topo

 

27 de outubro (sexta) - 18h

 

LANÇAMENTO

Do livro 

Andanças com Salvador Bahia 

 ( edição conjunta de Na Virada do Milênio , Andanças na contramão e Viagem Interrompida).

de Antonio Possidonio sampaio

Alpharrabio Edições

14x21, 128 pp. 

desenho: Guedo Gallet

Salvador Bahia surgiu na ficção de Antonio Possidonio Sampaio em 1979 e, desde então , tem cruzado as diversas obras do autor , como o elo que , ao unir autor e personagem , confunde os limites entre ficção e realidade sobre os quais nosso “escritor-repóter” constrói sua obra .

Neste volume estão reunidos três momentos desse rico relacionamento Na Virada do Milênio ( inédito ), Andanças na contramão (1996) e Viagem interrompida (2005). Neles, autor e personagem se misturam: um escreve com a mão do outro , que , por sua vez , fala com a voz daquele.


 

 Volta ao topo

 

 

sábado - 28 de outubro - 16h

 

 

PROVA DOS NOVE

Ciclo Alpharrabio Documentários

Apoio: FAENAC


 

Justiça: o filme

[ direção : Maria Augusta Ramos – 2004, 100 min.]

 

Convidada : Eliana Borges Cardoso

 (Advogada, mestre em direito pela USP, professora de prática trabalhista. Foi diretora da Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo (2001-2005)

 

 

 

O cotidiano de um Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro , incluindo as pessoas que ali trabalham diariamente, como promotores , defensores públicos e juízes, e ainda pessoas que estão apenas de passagem , como os réus .

 

 

Prova dos nove

ciclo Alpharrabio de documentários

A livraria Alpharrabio, com o apoio da Faenac promove a partir do mês de março, estendendo-se por todo o ano de 2006, um ciclo de exibição e debates sobre alguns dos melhores documentários nacionais. A proposta é dar ao público uma dupla oportunidade: assistir a produções que são tão bem realizadas quanto difíceis de encontrar nos grandes circuitos e, a seguir, conversar sobre elas com outros interessados e convidados especiais, que contribuirão para os bate-papos com suas visões particulares sobre o documentário.

A exibição dos nove documentários, seguida da conversa entre o público e o convidado, será sempre aos sábados, às 16h, no auditório da livraria Alpharrabio, localizado na Rua Eduardo Monteiro, 151, em Santo André/SP (tel. 4438.4358).

 

PROVA DOS NOVE

(documentários)

PROGRAMAÇÃO (sábado – 16h)

 

 

25 de março: Boca de Lixo

[direção: Eduardo Coutinho – 1993, 54 min.]

Convidado: Cláudio Oliveira (é cineasta, crítico e editor de audiovisual da revista eletrônica de cinema Cineimperfeito.com.br)

 

29 de abril: Nelson Freire

[direção: João Moreira Salles – 2003, 102 min.]

Convidado: Flávio Florence (Regente da Orquestra Sinfônica de Santo André, Venceu por duas vezes o Concurso Jovens Regentes da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, é autor de diversas transcrições musicais, revisões e orquestrações, já executadas por várias orquestras, no Brasil e no exterior).

 

27 de maio: Janela da Alma

[direção: João Jardim, Walter Carvalho – 2002, 73 min.]

Convidada: Nanci Barbosa (é professora do curso de graduação Bacharelado  em Audiovisual do SENAC, integrante da Cátedra Prefeito Celso Daniel de Gestão de Cidades da Universidade Metodista de São Paulo, e do curso de Gestão e Políticas de Cultura e Gestão de Políticas Participativas para a cidade, também da Cátedra) 

 

24 de junho: Raízes do Brasil: Sérgio Buarque de Hollanda

[direção: Nelson Pereira dos Santos – 2004, 140 min.]

Convidado:Cláudio Bastidas (Mestre e doutor em psicologia pela PUC/SP, autor de Outra Beleza: estudo da Beleza para Psicanálise e Perversão: psicanálise, futebol e subjetividade brasileira).

 

29 de julho: O Prisioneiro da Grade de Ferro

[direção: Paulo Sacramento – 2003, 123 min.]

Convidado: Humberto Pereira da Silva (Doutor em filosofia da educação pela USP, é professor de filosofia e de sociologia no ensino superior. Desenvolve também as atividades de crítico de cinema e de colunista de cultura em órgãos como Revista de Cinema, Trópico e Digestivo Cultural)

 

 

26 de agosto: A pessoa é para o que nasce

[direção: Roberto Berliner – 2004, 84 min.]

Convidado: Luís Alberto de Abreu (dramaturgo, autor de mais de 3 dezenas de peças teatrais,entre as quais Bella Ciao, O livro de Jó e a tetralogia A comédia popular brasileira. Roteirista de cinema – Kenôma e Narradores de Javé – e TV – Hoje é Dia de Maria.

 

30 de setembro: ônibus 174

[direção: José Padilha – 2002, 128 min.]

Convidado: Sidnei Barreto (Doutorando em Linguística pela USP, professor da FAENAC).

 

28 de outubro: Justiça: o filme

[direção: Maria Augusta Ramos – 2004, 100 min.]

Convidada: Eliana Borges Cardoso (Advogada, mestre em direito pela USP, professora de prática trabalhista. Foi diretora da Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo (2001-2005)

 

25 de novembro: Passaporte Húngaro

[direção: Sandra Kogut – 2003, 71 min.]

Convidado: Aleksandar Jovanovic (Doutor em Semiótica e Lingüística Geral, tradutor e jornalista, atua na área de Linguagem e Educação.

 Volta ao topo

 

O Alpharrabio (a livraria e o café)
 funciona no seguinte horário:

segunda/sexta, das 13 às 19h

sábado, das 9h30 às 13h

 

ATENÇÃO

Nosso endereço:
 Rua Eduardo Monteiro, 151 - Jd. Bela Vista
Santo André - SP - Brasil

Fone: (11) 4438.4358 - e-mail: alpharrabio@alpharrabio.com.br

www.alpharrabio.com.br

 

Visite a Livraria e o Café Alpharrabio

Índice | Livraria | Editora | Centro Cultural | Abecês | Mapa do Site | Envie o seu comentário