Volta ao índice inicial

SETEMBRO / 2003

 

6 de setembro - 17 h

 

CONVERSA DE LIVRARIA

 com a Prof. Cremilda Medina (ECA-USP), seguida de autógrafos do livro Caminho do Café – Paranapiacaba: Museu Esquecido

 

Caminho do Café -

Paranapiacaba: Museu Esquecido
Cremilda Medina

 152 páginas

Coleção  “São Paulo de perfil” (ECA-USP)
  R$ 15,00 o exemplar

O Projeto São Paulo de Perfil, idealizado pela jornalista e professora titular da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, Cremilda Medina, nasceu da tese de doutorado da pesquisadora – Modo de Ser, Mo’ Dizer -, defendida na USP em 1986. No ano seguinte começava a série de livros-reportagem concretizada no curso de Jornalismo da ECA.. Até 1997, os estudantes de graduação do terceiro ano matutino e quarto ano noturno realizaram, como ato culminante das disciplinas cujo conteúdo foi alimentado pela pesquisa da linguagem dialógica 21 exemplares da coleção, dois por ano de 1987 a 1996 e um em 1997. Os exemplares seguintes foram realizados por alunos de pós-graduação e da disciplina Oficina de Narrativas da Contemporaneidade.

A coleção trabalha com o inventário das migrações que fazem o atual perfil de São Paulo (o que, de certa forma, significa o perfil de identidades brasileiras), bem como procura tematizar os principais desafios do presente. A gênese das narrativas organizadas em livros-reportagem está cruzada com o percurso profissional e de pesquisa de Cremilda Medina. Formada em Jornalismo e Letras Pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul em 1963/64, dedicou-se sempre não só ao pragmatismo na comunicação social como aos estudos e à reflexão crítica que a levou à atividade acadêmica. Em 1970, ao se mudar para São Paulo e ingressar na USP como docente e como estudante no primeiro curso de Mestrado da América Latina, esta vocação se reforçou e, a partir daí, a pesquisa estará estreitamente vinculada às práticas comunicacionais. 

Se de 1975 a 1986 foi obrigada, por motivos políticos, a se afastar da Universidade, por outro lado ganhou em experiência jornalística ao se voltar integralmente para a profissão em um período de dez anos quando trabalhou no jornal O Estado de S. Paulo. Já de 1986 até a presente data, ao retornar à USP, dedicou-se em tempo integral para o ensino e pesquisa. É justamente nesse momento que criou o Projeto São Paulo de Perfil, fruto do exercício jornalístico e dos estudos em Comunicação Social que vão desaguar no doutorado e na proposta de novas narrativas da contemporaneidade.

Volta ao topo

10 de setembro - 19 h

 

LANÇAMENTO E AUTÓGRAFOS

 

 

 

O Prof. Nelson Antônio Dutra Rodrigues autografa seu livro 

Os Estilos Literários e Letras de 

Música Popular Brasileira

(128 pp. - 14x21 cm - Ed. Arte e Ciência)

 

O autor propõe um debate entre duas artes desiguais: a erudita literatura e a música popular nacional.  A expressividade estética de alguns compositores foi o ponto comum encontrado neste diálogo entre todos os movimentos literários - desde o classicismo até o modernismo - com a MPB.

Nelson Antônio Dutra Rodrigues transformou sua tese de mestrado na Universidade Presbiteriana Mackenzie neste rico compêndio, publicado pela Editora Arte & Ciência.

 

Volta ao topo

 

13 de setembro (sábado) 17 h

 

 

CONVERSA DE LIVRARIA

 

 com a poeta Deise Assumpção e lançamento do livro Cofre.

Na ocasião, o grupo "Canto, Cordas e Percussão" do Centro Experimental de Música do SESC Consolação sob orientação de Solange Assumpção apresentará canções de Tom Jobim

 

Cofre

(poesia)

Deise Assumpção

 

 96 páginas

Formato: 14 x 21cm

Alpharrabio Edições

 

 

 

A poesia que vai neste Cofre de Deise Assumpção, primeiro livro da autora, afirma uma fala consciente : transparece que uma longa meditação sobre (e sob ) os versos aplaca quaisquer marcas de estréia . E em sua base está o jogo hábil de conter sob palavras pensadas, linhas contidas, fôlego medido – o jorro da memória daquilo tudo que cruzou sua vida , não apenas os fatos marcantes , mas principalmente a alienação da rotina e dos encargos de mãe-mulher-professora, o que constitui uma densa matéria ( experiência , existência ) sobre a qual , para Deise, qualquer discurso é complexo e exige um escavar das feridas .

A poesia que escapa deste Cofre transita por entre as datas de um calendário pessoal repleto de apontamentos indeléveis que não lhe permitem estar completamente em seu passado ou em seu presente : a visita dos poemas de Deise tem sempre um na casa e outro na calçada , e talvez seja mais preciso imaginar que estende sua dança por duas pistas , iluminando uma com a luz da outra . ( Não se achará, aqui , qualquer menção ao futuro , pois esta poesia tem em sua mira a contingência dos dias vividos , do dia que se vive, sem evocações de um futuro desta ou daquela cor – debruçada sobre sua condição e sobre como esta mudou e segue mudando, Deise fere-se com aquilo de que participou e participa, não com o que possa vir.)

Nessa tarefa a poeta se faz auxiliar de um rico referencial de escritores , filósofos e, mais que tudo isso , de uma sensibilidade bem treinada para as duras exigências da poesia e da vida (o que , de fato , aproxima sua voz e seu olhar dos da poeta Adélia Prado , influência que Deise homenageia, tentando entender , num belo poema como Obra completa ”). Mas ainda assim , e por causa disso, sua poesia se livra de uma apresentação complexa , obscura ao leitor : o trabalho de Deise Assumpção nesta sua primeira poesia parece ter sido justamente o de sair da “ oficina irritada” da poesia com objetos simples , bem talhados , que por trás de suas camadas límpidas deixassem entrever traços que , por si , exigiriam demais do leitor .

Desta vez , para sorte dos invasores , o Cofre está aberto : basta trazer outra chave , aquela a que se refere a irretorquível pergunta de Drummond com que Deise Assumpção epigrafa apenas uma das valiosas peças de seu livro , mas que a todas elas protege.

Tarso de Melo

 

 


 

 

Deise Aparecida Martineli de Assumpção nasceu em Pirassununga – SP, em 10 de outubro de 1946. Desde 1968 reside em Mauá, no ABC Paulista.

Formada em Letras, com especialização em Literatura Brasileira, tem uma longa atuação no magistério, que vai desde a regência de classe na escola primária da zona rural até o ministrar aulas de Língua Portuguesa e Literatura no ensino fundamental e médio.

Participa de congressos e outros eventos da área, tendo vários trabalhos publicados. 

Alguns de seus poemas constam de antologias, revistas e sites literários. Esta é sua primeira publicação em livro.

 

 

O grupo "Canto, cordas e percussão" é um trabalho de prática de conjunto com os alunos do Centro Experimental de Música do Sesc Consolação, iniciado em 2003, que propõe o desenvolvimento de um repertório de música brasileira. Atualmente estuda composições de Tom Jobim.

O grupo é formado, neste semestre, por 12 vozes, um quarteto de cordas, 2 violões, 1 piano e percussão com arranjos específicos para esta formação. A orientação é de Solange Assumpção.

 

 

Volta ao topo

 

13 de setembro [metafísica] - 10 h

27 de setembro [ética]

 

6 de agosto Introdução [panorama]

30 de agosto Epistemologia [teoria do conhecimento]

13 de setembro Metafísica

27 de setembro Ética

11 de outubro Estética

25 de outubro Filosofia política e social

8 de novembro Filosofia do Direito

22 de novembro Filosofia da Religião 

 

  Capítulos  Contemporâneos de Filosofia

Ciclo de estudos de filosofia coordenado pelo Prof. Luiz Paulo Rouanet com base no livro Compêndio de filosofia, em oito encontros quinzenais sobre alguns dos principais pontos do conhecimento filosófico, enfrentados de modo abrangente e sob ótica contemporânea (escolhidos entre os mais de 30 tópicos reunidos no livro, tratados sempre por especialistas em cada matéria), tendo como orientação a leitura dos capítulos correspondentes, entretanto, sem se limitar à abordagem dada pelo livro.

 

Luiz Paulo Rouanet, nascido em 1964, é mestre e doutor em Filosofia pela Universidade de São Paulo. Atualmente, é professor na Pontifícia Universidade Católica de Campinas e na Universidade São Marcos. Além do livro-base do presente curso, traduziu diversas obras filosóficas e é autor de Rawls e o Enigma da Justiça (São Paulo: Unimarco, 2002), originalmente escrito como tese de doutoramento sobre o filósofo contemporâneo norte-americano.

 

A inscrição para o ciclo todo custa R$ 100,00 (consulte condições de pagamento), com direito a um exemplar do livro Compêndio de filosofia, organizado por Nicholas Bunnin e E. P. Tsui-James (São Paulo: Loyola, 2002, trad. Luiz Paulo Rouanet, 770 pp., R$ 86,00).

 

Programação

todos os encontros serão aos sábados, das 10h às 13h

 

 16 de agosto Introdução [panorama]

30 de agosto Epistemologia [teoria do conhecimento]

13 de setembro Metafísica

27 de setembro Ética

11 de outubro Estética

25 de outubro Filosofia política e social

8 de novembro Filosofia do Direito

22 de novembro Filosofia da Religião 

Volta ao topo

20 de setembro de 2003 - 17 h

 

 

Podem a Ética e a Cidadania serem Ensinadas?

por José Sérgio Fonseca de Carvalho

 

Mestre e Doutor em Filosofia da Educação pela USP, Professor de Filosofia da Educação nos cursos de graduação e Pós-graduação da FEUSP, coordenador do Projeto Direitos Humanos e Cidadania nas Escolas (FAPESP/ Cátedra USP/UNESCO).

Autor da obra Construtivismo: uma pedagogia esquecida da escola (ArtMed, Porto Alegre).  

 

 

Volta ao topo

O Alpharrabio (a livraria e o café)
 funciona no seguinte horário:

segunda/sexta, das 13 às 19h

sábado, das 9h30 às 13h

ATENÇÃO

Nosso endereço:
 Rua Eduardo Monteiro, 151 - Jd. Bela Vista
Santo André - SP - Brasil

Fone: (11) 4438.4358 - e-mail: alpharrabio@alpharrabio.com.br

www.alpharrabio.com.br

 

Visite a Livraria e o Café Alpharrabio

Índice | Livraria | Editora | Centro Cultural | Abecês | Mapa do Site | Envie o seu comentário