Volta ao índice inicial

 

SETEMBRO / 2005

 

 

03 de setembro - sábado - 9h

(oficina de cinema)

(idealização cine imperfeito)

De 3 de setembro a 26 de novembro de 2005. Aos sábados das 9h00 às 12h00 horas.

 

 http://www.cineimperfeito.com.br/oficina.asp

 

 

Oficina de Cinema Clássico

 

O que é:

O objetivo da oficina é a realização de um curta-metragem em vídeo digital de autoria dos alunos.
O curso está dividido em três módulos: no primeiro módulo serão dadas noções de linguagem cinematográfica, desde a invenção da imagem em movimento, passando pela criação de uma gramática consolidada do cinema, até as principais inovações estéticas dos 60; no segundo módulo serão abordadas questões ligadas à concepção do roteiro, desde a idéia, passando pela construção dos personagens, até o roteiro final; no terceiro e último módulo será realizado um curta-metragem em vídeo digital com duração aproximada de dez minutos, os alunos terão uma noção clara do papel de cada profissional envolvido na produção de um filme, assim como suas principais etapas: pré-produção, filmagem e edição.
 

 

Programa Resumido

1.Introdução à linguagem cinematográfica : características fundamentais da imagem fílmica, o papel criador da câmera, os movimentos de câmera.

2. Montagem cinematográfica : ligações e transições, as elipses, a profundidade de campo, o ritmo, o espaço e o tempo.

3. Roteiro Cinematográfico: a idéia, o conflito, a personagem, os diálogos, a ação dramática.

4. Cinema versus televisão: aproximações e principais diferenças.

5. Primeiro exercício prático.

6. Som : os efeitos sonoros, a impressão de realidade, a continuidade sonora, a música, o silêncio.

7. Direção de atores: os gestos, os olhares, os silêncios e a relação do ator com o espaço.

8. Exercício final: um curta-metragem em vídeo digital de aproximadamente dez minutos de duração.

 

Bibliografia

  • Bazin, André. O Cinema da Crueldade. Ed. Martins Fontes, 1989.

  • Bernadet, Jean-Claude. O Autor no Cinema. Ed. Brasiliense, 1995.

  • Martin, Marcel. A Linguagem Cinematográfica. Ed. Brasiliense, 1990.

  • Xavier, Ismail. O Discurso Cinematográfico. Paz e Terra, 1984.

  • Tarkovski, Andrei. Esculpir o Tempo. Martins Fontes, 1990.

  • Deleuze, Gilles. Imagem-Tempo. Brasiliense, 2005.

  • Carriére, Jean-Claude. Prática do Roteiro Cinematográfica. JSN, 1996.

  • Comparato, Doc. Da Criação ao Roteiro. Editora Rocco, 1995.

 

Público Alvo
Qualquer pessoa que tiver interesse por cinema. A vagas são limitadas.

 

Duração
De 3 de setembro a 26 de novembro de 2005. Aos sábados das 9h00 às 12h00 horas.

 

Local
Livraria e Editora Alpharrábio. Rua Eduardo Monteiro, 151, Jd. Bela Vista - Santo André

Contato: scrições pelo e-mail oficina_cinema@yahoo.com.br

 

Volta ao topo

03 de setembro - sábado - 13h

(oficina de cinema)

(idealização cine imperfeito)

De 3 de setembro a 26 de novembro de 2005. Aos sábados das 13h00 às 16h00 horas.

 

 http://www.cineimperfeito.com.br/oficina.asp

 

 

OFICINA DE INTRODUÇÃO 

AO CINEMA MODERNO 

(PRÁTICA)

 

 

 

Apresentação

 

A partir da análise de alguns elementos estéticos que definiram de algum modo a idéia de cinema moderno como, por exemplo, o corte em descontinuidade, a improvisação, a mistura de gêneros num mesmo filme, a tensão entre ficção e realidade, a relativização do estatuto da imagem, a metalinguagem, a anti-dramaturgia etc., iremos realizar um curta-metragem que procurará incorporar estes recursos formais característicos daquele cinema. 

 

 

 

Programa Resumido

 

 1 - Introdução ao cinema moderno: uma visão geral.

 

  2 - Neo-realismo Italiano: a partir da análise do filme “Viagem a Itália”, de Roberto Rosselini, procuraremos levantar as principais questões políticas e estéticas daquele movimento cinematográfico.

 

  3 - Nouvelle Vague Francesa: a partir da análise dos filmes “Acossado” e “O Desprezo”, ambos de Jean Luc Godard, levantaremos as principais questões políticas e estéticas daquele movimento.

 

  4 - Primeiro exercício prático: a experiência de filmar na rua. A construção de uma narrativa breve com elementos que não podemos controlar.

 

  5 - O Cinema Novo Brasileiro e a Estética da Fome: a partir da análise dos filmes “Deus e o Diabo na Terra do Sol”, de Glauber Rocha, “Os Fuzis”, de Ruy Guerra e “Vidas Secas”, de Nelson Pereira dos Santos trataremos de levantar as principa is características daquele movimento.

 

  6 - O Cinema Marginal Brasileiro: analisaremos os filmes “O Bandido da Luz Vermelha”, de Rogério Sganzerla e “O Anjo Nasceu”, de Júlio Bressane.

 

  7 - Exercício final: um curta-metragem em vídeo digital de autoria dos alunos que incorporará na sua construção (ou desconstrução) tudo que foi aprendido na oficina.

 

 

Duração

De 3 de setembro a 26 de novembro de 2005. Aos sábados das 13h00 às 16h00 horas.

 

 

Local

Livraria e Editora Alpharrábio. Rua Eduardo Monteiro, 151, Jd. Bela Vista - Santo André

 

Inscrições

Inscrições pelo e-mail : oficina_cinema@yahoo.com.br com nome, idade e escolaridade.

 

Volta ao topo

 

 14 setembro - (quarta-feira) 

das 15 às 17,30h

CINECLUBE

CINECLUBE

14, 21 e 28 de setembro

 

Atividade do Cineclube Alpharrabio – Cinéfilos, coordenados pelo prof. Edmundo Epifanio, conversam sobre os mais variados aspectos do cinema. O grupo está em formação e aceita participação de interessados.

 

quarta-feira, 14 de setembro de 2005 

Tema –   Cinema Experimental
 Filme - 11 de Setembro

 
quarta-feira, 21 de setembro  de 2005


Tema –  Vício
 Filme - Vício Maldito
             

 
quarta-feira, 28 de setembro de 2005


Tema –  Jazz
 Filme – Por Volta da Meia-noite
              

http://edepdiaz.blog.uol.com.br

Volta ao topo

16 de setembro - sexta - 15h

(curso de redação)

16, 23 e 30 de setembro

 

 

"Tecer para além do vestibular"

 

O que é:

"Tecer para além do vestibular" é um curso de redação voltado àqueles que pretendem conhecer um pouco mais dos mecanismos lingüísticos que dão a uma produção escrita a qualidade de ‘texto’.

É um curso teórico e prático. A discussão das teorias modernas sobre a concepção de ‘texto’ se dará em conjunto com a produção escrita.

 

 

O que propõe:

O curso propõe uma investigação dos fatores de textualidade: coesão, clareza, coerência, progressão temática, intertextualidade, as partes de um texto e sua articulação etc. Por meio de exemplos, exercícios e a prática da produção escrita, pretende oferecer subsídios consistentes aos participantes, de modo a fazê-los conscientes do processo de escrita, sobretudo quanto à produção da dissertação argumentativa.

 

A quem se destina:

Aos interessados de modo geral, mas, sobretudo, a estudantes de letras, de jornalismo, "vestibulandos" e professores de língua portuguesa. Trata-se, portanto, de um curso voltado àqueles que lidam ou pretendem lidar com a palavra escrita.

 

Quem coordena:

Prof. José Marinho do Nascimento

Professor e amante da língua portuguesa e da literatura brasileira

 

Encontros:

Onde? Os encontros ocorrerão nas dependências da Livraria Alpharrabio (Rua Eduardo Monteiro, 151 – Santo André).

 

 

Datas: às sextas-feiras: dias 12, 19 e 26 de agosto; 16, 23 e 30 de setembro.

Horário: das 15 às 17h.

 

Investimento:

O valor total do curso é de R$ 100,00. Pagamentos: 10/08 – R$ 50,00 e 10/09 – R$ 50,00.

Volta ao topo

17 de setembro - Sábado - 10 horas

 

OBSERVATÓRIO DO POEMA

leituras de texto/contexto contemporâneoo

 

 

Observatório do poema [XVI]

Coordenação : Tarso de Melo

Décimo sexto encontro do grupo aberto de leitura , que se reúne mensalmente no Alpharrabio para discutir , a partir de um texto crítico ou teórico escolhido previamente, questões importantes para a compreensão da poesia contemporânea . O ensaio em que se concentrará a discussão , desta vez , é “ Literatura e história : desenvolvimento das forças produtivas e autonomia da arte ”, de Martin Fontius ( em Teoria da literatura em suas fontes , 3.ª ed., v. 1, pp. 97-116, RJ: Civilização Brasileira , 2002). É importante observar que a sugestão acima é de leitura apenas das duas primeiras partes do ensaio , em que são expostas as questões gerais nele tratadas, que com os detalhamentos posteriores ultrapassa 100 páginas . Contudo , não obstante o objeto de nossa maior atenção seja o início do texto , advirta-se que a leitura dele todo é prazerosa (e recomendável). Junto ao texto de Martins Fontius, sugiro um outro ensaio fundamental : “Sob re lírica e sociedade”, de Theodor W. Adorno (reproduzido em diversas publicações no Brasil e no mundo ).

Por fim , no encontro deste mês voltamos a ter poemas escolhidos previamente: três poemas do poeta paulista Marcos Siscar que podem nos ajudar a multiplicar a discussão das idéias apresentadas nos ensaios de Martin Fontius e Adorno . Boas leituras , abraço ,

 

Tarso .

 

(1) É importante ressaltar que a participação nos encontros do “ Observatório do poema ” é livre e independente da leitura prévia dos textos selecionados , pois as discussões não são exatamente presas à letra do ensaio , mas apenas partem de suas idéias para avançar na compreensão de questões que interessem a todo leitor de poesia .

(2) Além do acervo de sebo e de suas próprias edições , a livraria Alpharrabio passa a disponibilizar , mediante encomenda , títulos de diversas editoras de todo o Brasil. Para saber as condições e outros detalhes , entre em contato com a livraria , pessoalmente , por telefone [4438.4358] ou email [alpharrabio@alpharrabio. com .br].

 

  

MARCOS SISCAR

três poemas do livro Metade da arte

[SP/RJ: CosacNaify/7 Letras , 2003, pp. 22, 30 e 73]

 

 

Conheço apenas uma cidade (e isto dito

dizer o que quer que se quer que diga

é um enjôo sem fundo sem palavra

você cega e eu mudo sempre me agarro

a seus cabelos sem querer sem as mãos

uma contrição sem crença uma ambição

da inteligência ? nada sei que sei

que a palavra mão nasceu dos pés

descalços com que talvez me chamasse

uma indiferença igual a nada apenas

uma consideração do gesto enquanto isso

ingazeiros lançam raízes no rio e talvez

as formas urbanas preferissem um outro

receptáculo para tanta necessidade de vida )

 

 

São Paulo 1972

 

os anos duros eu conheci de perto

nacional era kid e proibido fumar escondido

cem mil rádios deletérios entoavam sólidos timóteos

nas paredes escuras o centro se imaginava roma

policiais com capacete traziam moleques pelo braço

os caminhos eram mais curtos na saída

quando se entrava de cabeça baixa

os ônibus urbanos mais altos do que a perna

borracha e fumaça eram náusea certa os anos duros

eu conheci de perto desde cedo com a cabeça

pelo vidro aberto botando a coisa para fora

 

 

Tome seu café e saia

 

a quem interessa o fracasso

do outro por que nos interessa

o fracasso ou a dor de viver

é mais forte que o abraço

( por que na despedida o beijo

então inadiável por que

as mãos nos cabelos apenas

antes da morte os corpos se encontram)

eu lhe ofereço este cansaço

talvez você se interesse

talvez você morra de astúcia

tome seu café e saia

Volta ao topo

17 de setembro - sábado - 16h30

(lançamento)

 

Murilo Mendes

e a imagem poética do assombro

análise de poemas

José Marinho do Nascimento 

Editora: Alpharrabio Edições
ISBN: 858801439-4
Ano: 2005
Edição: 1
Número de páginas: 200

R$ 25,00

José Marinho do Nascimento é professor de 

Língua Portuguesa e Literatura Brasileira no Centro Universitário Fundação Santo André. Atualmente, é doutando em Língua e Literatura Francesa na USP. Contista e poeta, participou de algumas coletâneas, dentre as quais estão as publicadas pelo Grupo Livrespaço de Poesia.

Volta ao topo

22 de setembro - (quinta) 17h

 

Lançamento do livro

COMPANHEIROS DE VIAGEM

de Oswaldo Lourenço

 

 

As lutas sindicais no porto de Santos, considerado o maior foco revolucionário do país antes de 1964, e as atividades da ALN, o grupo armado de Carlos Marighella contra o regime militar são os temas do livro Companheiros de Viagem, de Oswaldo Lourenço, ex-lider sindical, deputado cassado em 64, e atual presidente do Sindicato dos Aposentados.

Lançado pela Editora Maturidade, o livro traça uma história dos movimentos sindicais desde o começo do século XX até 1974, quando o autor foi solto da prisão do Dói-Codi, em São Paulo. O autor, ex-dirigente do Partido Comunista Brasileiro, após participar intensamente da vida sindical pré-64, dissentiu da linha oficial do seu partido, na  instauração do regime militar, e se aliou ao grupo de Carlos Marighella para combatê-lo. Preso e torturado várias vezes, Lourenço, anistiado em 1979, organizou posteriormente  o movimento dos aposentados, tornando-se líder nacional da categoria.

 Volta ao topo

24 de setembro - (sábado) 17h

 

 

ALPHARRABIO APRESENTA:

grandes autores, leitores à altura

 

Em quatro encontros, grandes autores brasileiros terão seus perfis apresentados por leitores especialíssimos, com sua apresentação crítica, acompanhada de informações biográficas e da leitura comentada de trechos de suas obras. O Alpharrabio oferece ao público a oportunidade de encontrar com a arte desses escritores iluminada pela atenção de críticos que não se cansam de percorrer as páginas com que eles conquistaram a central importância que têm em nossa literatura

 

 

Aluísio Azevedo e a prosa proletária

por Luiz Ruffato


 

Aluísio Azevedo (1857-1913) é autor, entre outros, de O mulato (1880), Casa de Pensão (1884), Filomena Borges (1884), O cortiço (1890), Demônios (1893) e O livro de uma sogra (1895).

Luiz Ruffato nasceu em Cataguases (MG) em 1961. É um dos principais escritores das recentes gerações da prosa no Brasil, com livros já traduzidos para outras línguas. Entre seus livros está o premiado Eles eram muitos cavalos (2001). Atualmente, com apoio da Bolsa Vitae de Artes, escreve os livros da série "Inferno provisório", de que já lançou dois títulos: Mamma, son tanto felice e O mundo inimigo (ambos em 2005). Organizou as antologias de contos 25 mulheres que estão fazendo a nova literatura brasileira (2004) e +30 mulheres que estão fazendo a nova literatura brasileira (2005). Com Simone Ruffato, organizou o livro Fora da Ordem e do Progresso (2004). Seu trabalho mais recente é Ascânio Lopes: todos os possíveis caminhos (2005), com o qual dá continuidade à pesquisa iniciada com o livro Os ases de Cataguases (2002), que recupera a contribuição do grupo modernista que se reuniu ao redor da revista Verde.


 

PRÓXIMOS ENCONTROS

 

outubro, 29

Murilo Mendes: mundo-enigma, poesia-liberdade

por Eduardo Sterzi

 

novembro, 26

João Antonio e sua armadilha literária

por Rodrigo Lacerda

 

Programação completa - alpharrabioapresenta.pdf

Volta ao topo

28 de setembro - quarta - 18 h

 

Lançamento do livro 

Cotidiano e Invenção - os lugares de Michel de Certeau, de autoria do Prof. Fabio Botelho 

Volta ao topo

 

O Alpharrabio (a livraria e o café)
 funciona no seguinte horário:

segunda a sexta-feira, das 12 às 19h.

sábado, das 10 às 18h.

 

ATENÇÃO

Nosso endereço:
 Rua Eduardo Monteiro, 151 - Jd. Bela Vista
Santo André - SP - Brasil

Fone: (11) 4438.4358 - e-mail: alpharrabio@alpharrabio.com.br

www.alpharrabio.com.br

 

Visite a Livraria e o Café Alpharrabio

Índice | Livraria | Editora | Centro Cultural | Abecês | Mapa do Site | Envie o seu comentário