Volta ao índice inicial

 

PROGRAMAÇÃO - 22 anos

setembro 2014

 
Até 27 de setembro
exposição

20 de setembro  -  sábado - 10h30
conversa de livraria

29 de setembro  -  2ª feira - 19h 
fórum

 


 

Até 27 de setembro 


Exposição

LIVROBRA, de Dumas

 

 

LIVROBRA, de Dumas

Julio Mendonça

 

Quando o público chegar à Alpharrábio Livraria e Editora, em Santo André, verá no muro à esquerda uma série de retratos do artista plástico e poeta alemão Kurt Schwitters (1887-1948) reproduzidos em cartaz lambe-lambe. Dumas, o artista que está apresentando sua exposição Livrobra na Alpharrábio, reproduz essas imagens de Schwitters com uma técnica gestual que, sinestesicamente, faz ressoar a voz do artista alemão cantofalando sua famosa – mas, pouco executada – “Ursonate”.

Ao entrar na livraria, o público encontrará, por exemplo, um livro de estudos chamado “Cartografia & Desenho”, contendo recortes e colagens que remetem ao universo da tipografia, papelaria e estamparia e à vivência de Dumas em Belém (PA), cidade onde nasceu e viveu até os 30 anos.

O que Kurt Schwitters, papelaria, tipografia e Belém têm em comum? Dumas cresceu no ambiente de uma livraria-papelaria – que também estava associada a uma pequena gráfica – que sua família manteve na capital do Pará. Essa vivência em meio aos materiais e técnicas do cotidiano desse ambiente está profundamente impregnada na obra de Dumas. O artista paraense, depois, passou a ter em Schwitters uma de suas principais referências, justamente em razão dos aspectos gráficos, tipográficos e de colagem do lixo cultural, que o alemão introduziu.

Outra referência para a obra de Dumas é o poeta catalão Joan Brossa. Um poeta que, além de versos, produziu grande poesia visual e colaborou intensamente com artistas plásticos como Antoni Tàpies. Dumas tem em comum com Brossa o interesse pela gráfica e a tipografia, a relação com a cultura popular e a alma de arqueólogo do lixo cultural.

Assim, nessa exposição Livrobra, podemos ver e conhecer um pouco desse universo do artista em livros-objeto, livros e cadernos de estudos, gavetas e alguns trabalhos bidimensionais. Um universo de criação que, assim como para Schwitters e Brossa, não respeita limites nem hierarquias. O livro é uma das formas de manifestação mais importantes na obra de Dumas porque é um lugar de confluência e liberdade de experiência de seus múltiplos interesses.

Dumas é um dos poucos artistas que conheço, hoje, que é capaz de retirar seu material da natureza, da realidade social e da própria arte, simultaneamente. Da natureza, porque certos elementos da realidade física e biológica – principalmente da sua natureza amazônica natal – exercem uma contínua força aglutinadora de signos no seu trabalho. Já a realidade social e a cultural penetram na sua obra transformadas pela sua mastigação simbólica. O artista, frequentemente, usa como matéria o estereótipo gráfico, a imagem e/ou o objeto já prontos e repetidos à exaustão na cultura de massa, para deglutí-los num banquete antropofágico, no qual eles são re-contextualizados numa situação desideologizada, mesclados com imagens e meios populares.

Por esse viés de uma cultura popular antropofágica, a arte de Dumas realiza uma arqueologia das imagens técnicas, misturando cultura de vanguarda e cultura de massa consumida nas bordas do sistema, procedimentos experimentais e baixo calão, o fino e o grosso. Omar Khouri escreveu a seu respeito: “seus materiais: os mais despojados (a princípio) de artisticidade – a recolha de detritos da Civilização...”.

O trabalho de Dumas transita, com uma inadequação insuspeitadamente consciente e sistemática, entre a arte contemporânea – paradoxalmente aceita numa história da arte que ela mesma colocou sob suspeita – e os rebotalhos periféricos da cultura de massa. Esse pop de terceira mão da periferia da periferia do capitalismo é relido em linguagem sintética – metonímica e elíptica – , com um olho na tradição moderna ocidental e outro na sutileza e síntese da arte oriental.

 

Exposição: LIVROBRA, de Dumas
Até 27 de setembro de 2014
Local: Livraria Alpharrabio
Rua Eduardo Monteiro, 151 
Jd. Bela Vista - Santo André/SP
tel.: [11] 4438.4358

 

20 de setembro (sábado) - 10h30

 

Apresentação e lançamento dos livros

 

A Sociologia como Aventura - memórias  e

Uma Sociologia da vida cotidiana

 

de José de Souza Martins

 

 

A Sociologia é uma modalidade peculiar de aventura, sobretudo porque interroga realidades que as pessoas supõem conhecer, mas de fato não conhecem e até temem conhecer. Neste livro, o sociólogo José de Souza Martins expõe as décadas de sua própria aventura numa travessia de indagações sobre o Brasil que mudava e construía sua modernidade.
 O leitor encontra nesta obra um testemunho de quem viu e viveu os tempos adversos da ditadura militar, atuando na pesquisa científica, no ensino universitário e nos movimentos sociais, através da educação popular.

A Sociologia como aventura (memórias),
de José de Souza Martins

Editora Contexto
Nº de páginas: 352
Formato: 16x23

 

 

 

A Sociologia da vida cotidiana se propõe a investigar, descrever e interpretar desde as simples ocorrências de rua até os fatos e fenômenos sociais relevantes e decisivos. 
Neste livro, o sociólogo José de Souza Martins faz um mergulho nesse campo e investiga peculiaridades da sociedade brasileira, particularmente sobre as Ciências Sociais dentro e fora da sala de aula, a desigualdade social, a cultura popular e a língua que falamos. 
Obra essencial para estudantes, pesquisadores e educadores da área, mas também a todos os interessados em compreender melhor a sociedade em que vivemos.

Uma Sociologia da vida cotidiana,
de José de Souza Martins

Editora Contexto
Nº de páginas: 224
Formato: 16x23

 

José de Souza Martins

José de Souza Martins é um dos mais importantes cientistas sociais do Brasil. Professor titular aposentado de Sociologia e professor emérito da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP), foi eleito fellow de Trinity Hall e professor da cátedra Simón Bolívar da Universidade de Cambridge (1993-1994). É mestre, doutor e livre-docente em Sociologia pela USP. Foi professor visitante na Universidade da Flórida (1983) e na Universidade de Lisboa (2000). Foi membro da Junta de Curadores do Fundo Voluntário da ONU contra as Formas Contemporâneas de Escravidão (Genebra, 1996-2007). Professor Honoris Causa da Universidade Federal de Viçosa, doutor Honoris Causa da Universidade Federal da Paraíba e doutor Honoris Causa da Universidade Municipal de São Caetano do Sul. Autor de diversos livros de destaque, ganhou o prêmio Jabuti de Ciências Humanas em 1993 – com a obra Subúrbio –, em 1994 – com A chegada do estranho – e em 2009 – com A aparição do demônio na fábrica. Recebeu o prêmio Érico Vannucci Mendes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em 1993, pelo conjunto de sua obra, e o prêmio Florestan Fernandes da Sociedade Brasileira de Sociologia, em 2007. Pela Contexto, publicou os livros A sociabilidade do homem simples, Sociologia da fotografia e da imagem, Fronteira, O cativeiro da terra, A política do Brasil lúmpen e místico e A Sociologia como aventura.

 

20 de setembro (10h30) 2014

Apresentação e lançamento dos livros:

A Sociologia como aventura (memórias) e
Uma Sociologia da vida cotidiana

de José de Souza Martins

Local: Livraria Alpharrabio
Rua Dr. Eduardo Monteiro, 151 – Santo André
Tel.: (11) 4438.4358


29 de setembro (2ª  feira) 19h 

 

Reunião do Fórum Permanente de Debates Culturais do Grande ABC, O Fórum é composto por um grupo de pessoas interessadas em criar um processo participativo e crítico das políticas públicas da cultura e da ação cultural na região do Grande ABC, bem como integrar ações regionais. Esse grupo vem se reunindo nas dependências da Livraria Alpharrabio, desde novembro de 2007.

 

 

Apoio: www.bartiragraf.com.br
Tel.: (11) 4393.2911



 horário de funcionamento

de segunda/sexta, das 13 às 19h

sábado, das 9h30 às 13h

 

ATENÇÃO

Nosso endereço:
 Rua Eduardo Monteiro, 151 - Jd. Bela Vista
Santo André - SP - Brasil

Fone: (11) 4438.4358 - e-mail: alpharrabio@alpharrabio.com.br

www.alpharrabio.com.br

 

Visite a Livraria e o Café Alpharrabio

Índice | Livraria | Editora | Centro Cultural | Abecês | Mapa do Site | Envie o seu comentário